Casa Familiar Rural de Pitanga abre inscrições para curso técnico

Alexandra Ribas – coordenadora da Casa Familiar Rural de Pitanga

Alexandra Ribas – coordenadora da Casa Familiar Rural de Pitanga

A Casa Familiar Rural de Pitanga está com inscrições abertas para os interessados em fazer o curso técnico em agroecologia integrado ao Ensino Médio. As informações sobre o curso e a metodologia de ensino podem ser esclarecidas na secretaria do Colégio Antônio Dorigon, que é a escola base da CRF; com a coordenadora do curso, a professora Alexandra Zilce Buchmann Ribas, pelo telefone (42) 99908-2813; ou pelo facebook da Casa Familiar Rural de Pitanga.

A coordenadora conta que, além do ensino integrado, onde o aluno termina com o diploma do ensino médio e de técnico em agroecologia, a duração do curso é de apenas três anos, enquanto os demais cursos integrados ao ensino médio ofertados em Pitanga são de quatro anos.

A Casa Familiar Rural trabalha com a metodologia da pedagogia da alternância, onde o aluno fica uma semana dentro da instituição de ensino, em regime de internato e, na semana seguinte, fica em casa, onde coloca em prática tudo o que aprendeu.

As vagas são limitadas, já que cada turma conta com apenas 25 alunos e, com esse diferencial, o trabalho do professor é mais personalizado com os alunos da CFR. Além das matérias da grade normal do ensino médio, os estudantes têm aulas específicas com agrônomos e veterinários, que ministram disciplinas como manejo de animais, manejo de solos, entre outros. Apesar de não ter um espaço físico tão grande, os alunos cultivam hortaliças, o que ajuda na alimentação da CRF. Eles ainda fazem visitas técnicas, programadas ao longo do ano, para que possam conhecer propriedades rurais de vários segmentos.

Alexandra Ribas ressalta que, em função da pandemia, a instituição de ensino foi uma das que mais sofreu. “A Casa Familiar sofreu mais que as escolas regulares, pois o vínculo que temos com os alunos é muito grande e estamos sentindo falta dessa rotina”, ressaltou a coordenadora.

Ela também destaca que pelo fato dos alunos serem da área rural, eles têm uma dificuldade maior de acessar a internet para acompanhar as aulas online e realizar as atividades impressas. “Sabemos que é bem complicado o estudo sem a presença do professor para auxiliar, mas esperamos que, o mais breve possível, as aulas possam voltar e com isso retomar a rotina da Casa Familiar Rural”, frisou.