Coamo chega aos 50 anos de fundação com novo modelo de gestão

Coamo comemora, no dia 28 de novembro, 50 anos de fundação

Coamo comemora, no dia 28 de novembro, 50 anos de fundação

A Coamo comemora, no dia 28 de novembro, 50 anos de fundação. Certamente, uma data importante para todo o Paraná e também para Ivaiporã, já que a cooperativa, ao longo de todos esses anos, vem ajudando no processo de evolução da agricultura paranaense.

A Coamo foi idealizada pelo engenheiro agrônomo José Aroldo Galassini, que junto com mais 79 agricultores, no ano de 1970, fundaram a cooperativa que hoje é a 35ª maior empresa do Brasil, sendo a 10ª com capital totalmente nacional; a maior empresa do Paraná, sendo a cooperativa destaque no anuário da conceituada Revista Exame. Atualmente, a Coamo está presente no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul com entrepostos em 71 municípios, contando com mais de 29 mil cooperados e espera receber em 2020 quase 9 milhões de toneladas de grãos e um faturamento que chega próximo a R$ 16 bilhões. Um verdadeiro orgulho para todos os paranaenses, e os produtores de Ivaiporã têm uma importante parcela de contribuição nesse processo.

José Aroldo Galassini

José Aroldo Galassini

A cooperativa exporta cerca de 50% da produção recebida dos cooperados e tem um terminal portuário próprio no Porto de Paranaguá, principal porta de saída para o mercado externo. Atualmente, vende para Europa, China e vários outros países da Ásia.

Em recente entrevista à Revista Paraná Cooperativo, o presidente da empresa, José Aroldo Galassini, ressalta que o maior segredo para o sucesso da Coamo é a credibilidade que a cooperativa conseguiu junto a seus cooperados. “São 50 anos trabalhando ao lado deles, apoiando o seu desenvolvimento e impulsionando a economia dos municípios em que a cooperativa atua”, cita Galassini.

No entanto, o presidente destaca que, durante toda a trajetória à frente da Coamo, lado social do cooperativismo é mais importante, principalmente, o bom atendimento ao cooperado. “Uma cooperativa precisa trabalhar por aquele que está na base, pelo seu cooperado. Ela tem que pensar em tudo, da produção de sementes, plantio, colheita, entrega, armazenagem, industrialização até a comercialização”, citou.

Para se tornar a potência que é hoje, a Coamo sempre contou com um trabalho competente de sua diretoria, corpo de funcionários e colaboradores e o apoio e participação dos seus cooperados, mas com o passar dos anos, houve necessidade de modernização da gestão e isso está ocorrendo. “Uma eleição pode mudar toda a diretoria de uma única vez e isso pode trazer problemas, porque a sucessão não é planejada. Por este motivo, chegamos à conclusão de que era preciso mudar. Não fundamos a Coamo e a Credicoamo para uma geração ou duas, mas para a vida toda. Elas têm que continuar, independente de quem esteja no comando. Nosso novo modelo de governança assemelha-se ao adotado por grandes bancos, corporações, indústrias, principalmente, os negócios familiares”, explica Galassini.

Esse novo modelo de gestão é inspirado nas cooperativas da Europa, onde há um Conselho de Administração composto por nove cooperados, que irão assessorar a Diretoria Executiva. Os cinco diretores escolhidos para compor a Diretoria Executiva e o presidente executivo da Coamo conhecem como ninguém a gestão da cooperativa e como se trabalha com os cooperados. “Nesses 50 anos de cooperativismo, aprendi que não dá certo contratar um executivo de uma grande empresa para comandar uma cooperativa. Uma empresa grande é formada por grandes executivos, gente muito competente, mas com foco econômico”, salienta Galassini, que completa. “A Coamo e a Credicoamo não podem correr riscos, por isso é importante manter a sua essência. É por causa disso que fiz questão de cumprir expediente na cooperativa, na função de presidente do Conselho de Administração na gestão 2020/2024”, ressalta.

Galassini destaca que poderia deixar a gestão da cooperativa e alegar que já estava com certa idade, que está estabilizado financeiramente e sair. “Não vou fazer isso. Não posso fazer isso. Pela minha responsabilidade e pelo sucesso que tivemos até aqui”, finaliza o presidente da cooperativa.

Ivaiporã faz parte da história da Coamo

Domingos Carlos Fontana

Domingos Carlos Fontana

Desde que iniciou as atividades em Ivaiporã, com a incorporação da antiga Copiva, a Coamo tem contribuído substancialmente para o desenvolvimento da agricultura do município e, hoje, faz parte de sua história de 59 anos. O presidente da cooperativa, antes de fundar a Coamo, chegou a atuar em Ivaiporã como funcionário da antiga Acarpa, hoje IDR-PR (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná).

O atual gerente da unidade local da Coamo, Domingos Carlos Fontana, ressalta que a cooperativa tem como missão gerar renda aos cooperados com desenvolvimento sustentável do agronegócio, disponibilizando profissionais qualificados para atendimento ao cooperado em todas as etapas do sistema produtivo, indo desde a assistência técnica - com recomendações seguras e assertivas, até a comercialização da produção.

Segundo Domingos, esse trabalho com dedicação para o quadro social é evidenciado pela atuação participativa de seus cooperados, o que possibilita e contribui fortemente para cada vez mais a Coamo investir na modernização das estruturas e na ampliação dos serviços prestados no município!

São 22 anos de participação da Coamo no crescimento de Ivaiporã, comemorado nos 59 anos do município. Parabéns, Ivaiporã.

Comentários