Justiça Eleitoral de Ivaiporã realiza cerimônia de carga e lacração de urnas

Servidores da Justiça Eleitoral adicionam dados nas urnas eletrônicas

Servidores da Justiça Eleitoral adicionam dados nas urnas eletrônicas

A 93ª Zona Eleitoral de Ivaiporã realizou no domingo, dia 8 de novembro, a cerimônia de carga e lacração das urnas que serão utilizadas no processo eleitoral no domingo, dia 15 de novembro, nas eleições municipais para escolha de prefeitos e vereadores em Arapuã, Ivaiporã, Jardim Alegre e Lidianópolis. Na solenidade, que é pública, a Justiça Eleitoral insere os dados nas urnas eletrônicas com os nomes e números de candidatos e também os nomes dos eleitores aptos a votar em cada sessão eleitoral. Após a colocação dos cartões de memória, as urnas são lacradas e colocadas nas caixas e serão despachadas aos locais de votação para que sejam ligadas novamente a partir do domingo, para iniciarem o processo de votação, que acontecerá a partir das 7h00.

Nos quatro municípios que compõem a zona eleitoral de Ivaiporã, são 41.469 eleitores aptos para votar, sendo que apenas em Ivaiporã, são 25.162. Como houve a suspensão da biometria realizada no ano passado, em função da pandemia da Covid-19, mesmo os eleitores que não realizaram o cadastramento estarão aptos a votar. “Quanto maior a representatividade que tivermos nas urnas, maior será a legitimidade de quem for eleito e, por isso, estamos preparados para que todos os eleitores aptos possam comparecer às urnas”, comenta o juiz eleitoral da Comarca de Ivaiporã, Dirceu Gomes Machado Filho.

A justiça eleitoral também precisou se adaptar, pois o Paraná teve que ceder cerca de 6 mil urnas para outros estados e, por isso, foi necessária a agregação de algumas seções eleitorais. No entanto, segundo o chefe do cartório eleitoral, Rafael Paschoal Teixeira dos Santos, não houve mudanças nos locais de votação e, no dia do pleito, todas as seções eleitorais, inclusive as agregadas, estarão bem sinalizadas.

Sobre a cerimônia de carga e lacração, o juiz de Ivaiporã comenta que esse é um procedimento importante, onde são inseridos nas urnas todos os dados relativos à eleição e como é uma seção aberta, qualquer pessoa pode acompanhar e conferir a lisura do voto. “O maior interessando em comprovar a lisura das eleições e a segurança da urna eletrônica é a Justiça Eleitoral, sendo que a segurança da urna é submetida a vários testes, não só durante esse período, mas também durante todo o ano, onde são feitos testes públicos para que pessoas tentem fraudar o sistema e, até hoje, ninguém conseguiu comprovar que houve fraude”, ressalta o juiz eleitoral.