Três pessoas são condenadas há quase 250 anos de prisão por triplo homicídio

Tribunal do Júri condena réus por triplo homicídio

Tribunal do Júri condena réus por triplo homicídio

Em julgamento realizado no dia 6 de outubro, três pessoas foram condenadas a quase 250 anos de prisão em regime fechado por triplo homicídio cometido em 2016 em júri realizado em Guarapuava.

A juíza Susan Nataly Dayse Perez da Silva proferiu a sentença que condenou Zoraide Martins a 83 anos, 5 meses e 10 dias de reclusão; Amauri de Farias condenado a 95 anos e 6 meses e, por fim, Valdinei Martins condenado 68 anos, dois meses e 20 dias de reclusão.

Os réus eram acusados de um triplo assassinato de um casal de idosos de 70 e 72 anos e de um homem de 40 anos da mesma família na Linha Cantu, em Pitanga. As vítimas tiveram a residência invadida por supostos assaltantes.

Os três foram mantidos dentro do carro da família, enquanto o veículo era incendiado em uma estrada rural de Santa Maria do Oeste. Os corpos foram encontrados no dia 27 de agosto de 2016.

De acordo com a Polícia Civil, Vitor Lacoski, de 60 anos, sua esposa, Elizabete Cossoski, de 64 e o irmão da idosa, Salvador Cossoski, de 70 moravam em Pitanga e teriam sido agredidos e retirados da residência. Depois, foram levados até o distrito de São José, em Santa Maria do Oeste, onde o Fiat Siena foi posteriormente encontrado totalmente consumido pelas chamas. Os corpos foram retirados do automóvel e levados ao IML de Guarapuava para identificação. Inicialmente, acreditava-se que os três tivessem sido vítimas de um latrocínio, mas não foram levados objetos nem dinheiro da casa, o que afastou a hipótese de assalto.

Em setembro, de 2016, Amauri de Farias e Zoraide Lemes Martins, foram presos em Bituruna. Valdinei Martins Kossouski, de 19 anos, filho de Zoraide e parente do casal assassinado, também já havia sido preso no dia seguinte e confessou o triplo homicídio. Ele disse que a ação foi planejada pela mãe e pelo padrasto, de olho na herança de 15 alqueires de terra. No dia anterior ao crime, os três saíram de Guarapuava e foram até a casa das vítimas. A cerca de um quilômetro do local, deixaram um Kadett na beira da estrada. A mãe ficou e o jovem e o padrasto caminharam até a residência e mataram as três pessoas com golpes de facão. O planejado era atear fogo na casa com os corpos dentro, mas o padrasto mudou de ideia, colocou as vítimas dentro do automóvel e o incendiou.

Veículo Fiat Siena encontrado carbonizado

Veículo Fiat Siena encontrado carbonizado

Comentários