Inteligência Artificial vai agilizar processo de registro de solicitação de aposentados no Paraná

Com o objetivo de tornar mais ágil o processo de exame e registro dos Requerimentos de Análise Técnica de aposentadorias e pensões concedidas por seus jurisdicionados, o TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado do Paraná) criou um robô para realizar a vistoria inicial dos documentos de forma totalmente automatizada.

A ferramenta, concebida e desenvolvida, em sua maior parte, por servidoras do órgão de controle, foi batizada com o nome feminino “Ada”, que, além de corresponder à sigla para o termo técnico “Analisadora e Diligenciadora Automática”, faz referência à matemática britânica Ada Lovelace (1815-1852), responsável por escrever o primeiro algoritmo do mundo.

Caso “Ada” identifique alguma irregularidade no RAT, ela envia, por meio do Sistema Gerenciador de Acompanhamento (SGA) do Tribunal, um Apontamento Preliminar de Acompanhamento (APA) à entidade responsável pelo documento, a fim de noticiar a ocorrência.

Do contrário, o requerimento é encaminhado automaticamente para compor lista de homologação de benefícios, a qual, após ser assinada pelo presidente da Corte, possibilita o registro do ato. Um guia de orientações aos jurisdicionados sobre a sistemática relacionada aos RATs pode ser encontrado no site do TCE-PR.

Em 2020, já foram realizadas 12.415 análises por meio do novo sistema. Dessas, 10.760 resultaram em aposentadorias e pensões aprovadas e encaminhadas para registro. Por sua vez, foram detectadas impropriedades em 1.655 processos. As diligências feitas junto às entidades responsáveis nesses casos estão sendo efetuadas aos poucos, a fim de evitar uma sobrecarga nos órgãos jurisdicionados.

Comentários