Disque Denúncia tem número recorde de chamadas

O número de informações repassadas ao Disque Denúncia 181 nos oito primeiros meses deste ano foi o maior registrado durante o mesmo período nos últimos dez anos. De janeiro a agosto de 2020 foram inseridas no banco de dados do Centro Integrado de Denúncias 181 mais de 33,5 mil denúncias. Maior credibilidade no serviço e o anonimato garantido são os principais fatores para o aumento, de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Na comparação de janeiro a agosto deste ano com o mesmo período de 2019, o aumento das denúncias chega a 60%. Nos oito primeiros meses de 2020 foram 33.567 denúncias, 12.680 a mais que as 20.887 no mesmo período em 2019. O aumento é de 76% em relação aos oito primeiros meses de 2018, quando foram registradas 19.073 denúncias. Em 2020, foram inseridas no sistema do 181 uma média de 137 denúncias por dia relacionadas a diversos crimes.

“Procuramos sempre reforçar nosso trabalho para fornecer, cada vez mais, um serviço de eficiência para a população. O Disque Denúncia 181 é um programa que funciona há anos e já colaborou com diversas ações desenvolvidas pelas forças policiais do Estado. É de extrema importância, pois é uma das formas que colabora para unir cidadão e forças policiais”, afirmou o secretário da Segurança Pública do Paraná, Rômulo Marinho Soares.

Para ele, outro fator que motivou a população a denunciar é a confiança no trabalho prestado pelo programa. “O cidadão paranaense está mais próximo da segurança pública e sabe que somente com as denúncias conseguiremos chegar aos grandes criminosos e à elucidação de diversos crimes”, completou o secretário.

Segundo o coordenador do Disque Denúncia 181, capitão André Henrique Soares, o número de denúncias tende a aumentar a cada ano, devido à confiabilidade da população no sistema. “As pessoas estão ligando mais, estão procurando a integração com as instituições públicas, para que os crimes possam ser apurados e os resultados possam ser alcançados em prol da segurança pública e da proteção das pessoas. Fazendo um comparativo em relação ao mesmo período dos últimos dez anos, os números desse ano estão bem acima em relação aos anos anteriores”, informou.

Comentários