Comerciantes estão animados com o Dia das Crianças

Peterson Rocha da Silva mostra algumas opções de presentes

Peterson Rocha da Silva mostra algumas opções de presentes

O dia 12 de outubro, em que se comemora o Dia das Crianças, gera expectativa, pelo menos aos comerciantes do setor de brinquedos, que as vendas fiquem iguais ou até superem as do ano passado, mesmo com a economia afetada pelos efeitos da pandemia da Covid-19.

Isso ocorre porque a venda de brinquedos superou as expectativas dos empresários, mesmo com a pandemia. O proprietário da rede Barracão dos Presentes, Joel Estefano Iatskiu, disse que, no início da pandemia, chegou a temer pelos negócios, já que a perspectiva não era muito animadora, tanto que chegou a pensar que iria fechar as portas e, durante dois meses, praticamente não houve vendas. Ele também teve que dispensar 25 funcionários em toda a rede de sete lojas espelhadas pela região centro sul do Paraná. No entanto, já no final do mês de junho e começo de agosto, as vendas voltaram, principalmente, de jogos. “O fato das crianças ficarem em casa e os pais precisarem entretê-las, fez com que houvesse um aumento nas vendas de jogos e depois de outros brinquedos, o que não era esperado pela indústria”, ressalta.

O empresário acredita em um aumento nas vendas, na ordem de 20%, em relação ao ano passado. Joel Iatskiu ressalta que, para conseguir atender os consumidores para o dia das crianças, antecipou suas comprar e repôs o estoque, já que agora a indústria não está conseguindo atender a demanda do comércio. Isso ocorre porque o setor, que tem sua maior parte estabelecida no Estado de São Paulo, teve sua produção paralisada por mais de 72 dias. “Na verdade, ninguém esperava uma retomada nesse setor de forma tão rápida e a indústria não vai conseguir recuperar esses dias parados. Algumas empresas estão tendo dificuldade para encontrar os produtos”, disse o empresário.

Para o dia das crianças, ele afirma que os preços da grande maioria dos produtos estão semelhantes aos praticados no ano passado, mas para o Natal, a expectativa é de reajuste, tendo em vista que existe falta de matéria-prima.

Peterson Rocha da Silva, da Studantil Presentes de Ivaiporã, disse que a loja investiu bastante para esse dia das Crianças e acredita que é possível repetir as vendas do ano passado, que foi considerado muito bom. “Estamos torcendo por um crescimento em relação ao ano passado, mas por causa da pandemia, se tivermos o mesmo resultado do ano passado, já vamos comemorar”, relata.

Ele também comenta a dificuldade em conseguir o fornecimento dos produtos, especialmente com os fornecedores do estado de São Paulo, pela dificuldade de retomada das indústrias; mas ele salienta que a loja antecipou as compras e conseguiu se preparar para esse período.

Peterson Silva aponta que os brinquedos eletrônicos têm sido bastante procurados, mas isso depende muito da faixa etária da criança; e as vendas de bonecas e carinhos continuarão em alta. “Outra coisa que nos ajuda muito é que conseguimos vender em grande quantidade; várias entidades fazem doação e compram um volume maior e isso deve nos ajudar na venda dos dias das crianças”, ressalta.

Joel Iatskiu aposta em crescimento das vendas

Joel Iatskiu aposta em crescimento das vendas

Comentários