Obras de implantação de rede de esgoto avançam em Ivaiporã

Imagem aérea mostra estação de tratamento em construção

Imagem aérea mostra estação de tratamento em construção

A empresa Maper Construção Civil venceu a licitação para a obra de ampliação da rede de esgoto em Ivaiporã e vai construir 84,4 quilômetros da rede de coleta de esgoto e mais 12 quilômetros de redes interceptoras e linhas de recalque, que são as tubulações que levam os efluentes às estações elevatórias e ao tratamento final. O engenheiro Douglas Carvalho é o responsável pelas obras e falou sobre o andamento tanto da construção da nova estação de tratamento como também da ampliação da rede coletora no município.

A empresa já construiu cerca de 12,4 quilômetros da rede de esgoto, que totaliza quase 15% da obra prevista. Em relação à estação de tratamento, são várias unidades sendo construídas de forma simultânea e a estimativa é que 11% do trabalho já foram concluídos. A empresa também está trabalhando na construção de uma estação elevatória, onde atualmente funciona a estação de tratamento de esgoto da cidade, próximo ao Jardim Itaipu, que já está com 24% da obra concluída. “O nosso cálculo é que 12% do cronograma já foram cumpridos, incluindo todas as obras previstas”, disse Douglas.

O engenheiro explica que várias obras estão ocorrendo na estação de tratamento, como a fundação do sistema de entrada, ASB’s, Filtros Biológicos e Barracão de Secagem de Lodo e as estruturas em concreto dos Leitos de Secagem de Lodo. Segundo ele, existem algumas diferenças na forma de operação da futura ETE, que está sendo construída próxima à localidade de Água da Prata, com a atual, que funciona próximo ao centro de Ivaiporã. Ele salienta que ambas funcionam com sistema anaeróbio, a principal diferença é que a atual conta com o tratamento por RALF (Reatores Anaeróbios de Lodo Fluidizado) e na nova estação é construída por RAFA (Reatores Anaeróbios de Fluxo Ascendente). “Em termos de capacidade e eficiência, os Uasb’s são superiores, além disso, a nova estação contará com um moderno sistema de entrada para pré-tratamento, onde já serão removidas areias e gorduras e a capacidade de tratamento da nova estação será de 50 litros de efluentes por segundo”, ressalta.

Outro serviço que está sendo executado é a construção três elevatórias para atender regiões onde o esgoto não se deslocaria até a estação de tratamento, por causa da gravidade. Uma chamada elevatória Pindaúva, será construída no Canil Municipal; a segunda chamada elevatória Mangueira será construída na região entre as ruas Mangueira e a Avenida Maranhão; e a terceira será construída na atual estação de tratamento que será desativada, assim que a outra estação entrar em operação.

Douglas Carvalho comenta que, de modo geral, a população está compreendendo os transtornos causados pela obra e colaborado com a realização dos serviços, em função do entendimento da maioria das pessoas que esse investimento em saneamento é mais do que necessário. A construtora Maper está empregando 70 colaboradores nesse momento.

As obras são de responsabilidade da Sanepar que, no mês de abril assinou, junto com o município de Ivaiporã, a ordem de serviço para a execução do trabalho, que tem duração prevista de dois anos e investimento na ordem de R$ 37,3 milhões. A expectativa é que a obra beneficie 5,8 mil famílias, elevando o índice de atendimento dos atuais 14,5% para cerca de 50%. O diretor de Investimentos da Sanepar, Joel de Jesus Macedo, afirma que, além dessa obra, já estão previstos outros R$ 15 milhões para investimentos em Ivaiporã, nos quatro anos seguintes, também na área de esgotamento sanitário.

Comentários