Recurso desobriga devolução de mais de R$ 346 mil em Faxinal

O Pleno do Tribunal de Contas do Estado do Paraná deu provimento a Recurso de Revista interposto pela ex-gestora da Associação de Proteção à Maternidade e à Infância (APMI) de Faxinal (Região Norte) Maria Raimunda da Conceição Macedo, por meio do qual ela questionou o Acórdão nº 4101/19, emitido pela Primeira Câmara do TCE-PR.

A decisão havia determinado a restituição solidária, por parte da recorrente e da entidade, de R$ 346.458,09 ao tesouro municipal. A quantia consiste na integralidade dos recursos recebidos pela APMI local da administração pública entre 2001 e 2004, época de vigência de convênio firmado entre a associação e a prefeitura para realizar programas nas áreas da saúde e de assistência social.

Na ocasião, os conselheiros julgaram procedente Tomada de Contas Extraordinária que apontou a falta de prestação de contas do convênio e a ausência de comprovação, por parte da entidade, da destinação correta dos valores por ela recebidos durante o período.

Contudo, em seu voto sobre o mérito do recurso, o relator do processo, conselheiro Fabio Camargo, defendeu seu provimento, com base na alegação da recorrente de que a Representação que deu origem ao processo se baseou em relatório de auditoria independente considerado incompleto pelo próprio corpo técnico do TCE-PR.

Comentários