Mais de 700 pessoas participam da conferência da Criança e Adolescente

Conferência é realizada de forma virtual

Conferência é realizada de forma virtual

Mais de 700 pessoas participaram da abertura da X Conferência Estadual da Criança e do Adolescente, nesta segunda-feira, dia 21 de setembro. A presidente do Conselho Estadual da Criança e Adolescente (Cedca) e chefe do Departamento de Políticas para Crianças e Adolescentes da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, Ângela Mendonça, abriu o evento e destacou a implantação no Paraná do Orçamento da Criança e do Adolescente. Ela também falou sobre o trabalho da comissão organizadora do evento, que realiza a Conferência online, tornando o Paraná uma referência para todo o País com ações tecnológicas inovadoras.

É a primeira vez que a conferência é realizada online desde a implementação do Estatuto da Criança e do Adolescente em 1990. O evento segue até quinta-feira (24) e discute a Proteção Integral, Diversidade e Enfrentamento das Violências e também como as políticas públicas possam efetivamente ser aplicadas para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes.

O promotor Olympio de Sá Sotto Maior Neto, do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça do Ministério Público do Paraná, falou sobre a vulnerabilidade aumentada de crianças e adolescentes por causa do isolamento social imposto pela Covid-19. “Ressalto a importância da rede de proteção ativa e atenta para fazer valer o compromisso político, social e ético dos direitos da infância para uma sociedade justa, solidária e ética”, disse ele.

A estudante Maria Eduarda Garcia falou sobre a importância da representatividade nos conselhos de direito e convocou crianças e adolescentes a participarem do processo, como protagonistas e defensores da infância e adolescência.

A palestra magna com o tema Proteção Integral, Diversidade e Enfrentamento das Violências foi proferia pelo procurador do Ministério Público do Paraná, Murillo Digiácomo. Ele abordou a importância da Conferência em ouvir a sociedade na efetivação dos direitos. “Temos que aproximar o debate das comunidades para buscar alternativas na proteção de crianças e adolescentes”, disse ele.

Promovida pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho e Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, a X Conferência abre a oportunidade de mobilização da sociedade, das organizações sociais, das famílias, dos agentes estatais, dos meios de comunicação, empresas e, sobretudo, de crianças e adolescentes, para discutir, avaliar e planejar as políticas e os serviços direcionados para as crianças e adolescentes.

Participaram da abertura o secretário de Estado da Educação, Renato Féder; a promotora pública Luciana Linero (Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça da Criança e do Adolescente e da Educação do Ministério Público); Ires Damian Scuzziato, presidente da Comissão Organizadora da X Conferência, e Hélio Candido (Fórum dos Direitos da Criança e do Adolescente do Paraná/Fórum DCA).

Comentários