Direito de resposta

Em resposta às falsas alegações perpetradas pelo Prefeito Miguel Roberto do Amaral, em entrevista prestada junto ao Jornal Paraná Centro, posto em circulação em sua versão impressa de edição 1338, de 15 a 21 de julho de 2020, bem como em seu site, no dia 15/07/2020 às 08h:56m, passa a fazer os seguintes esclarecimentos:

1. Não exerci e nem tenho exercido qualquer pressão em cima de quaisquer vereadores a respeito da possível cassação do mandato de Prefeito. O que ocorre é que conheço vários vereadores e tenho tido conversas políticas com eles, o que, além de não ser proibido, é salutar, pois teremos eleições este ano e temos muito o que conversar, planejar e organizar tudo para o pleito municipal que em alguns meses ocorrerá. Quanto a dita aposta e com placar de votação de 7 a 2 contra ele, não foi feita por mim e nem por qualquer pessoa que me representasse.

2. Em relação a tirar o Miguel da disputa, também não procede, já que, pelas pesquisas feitas até o momento, o Miguel seria o candidato dos meus sonhos, já que na única pesquisa registrada até a presente data, no quesito espontânea, eu teria 7 vezes mais votos que ele (31,33% a 4,33%) conforme registro PR -00929/2020 na Justiça Eleitoral.

3. Não tenho poder e nem cargo político para poder marcar reunião de cassação, nem na Câmara Municipal e nem na Comissão Processante. Também é mentirosa a declaração do Prefeito que tentei impedir qualquer reunião extraordinária a respeito de festa do café em Ivaiporã.

4. Nunca usei de arrogância nem com ele e nem com outras pessoas.

5. Conforme declaração da única Vereadora Sueli Gevert e de seu Marido Dr. Marcos Gevert, inclusive já repercutida em rede social, é LEVIANA e IMPROCEDENTE tal acusação que pratiquei ameaças ou coação a respeito do seu voto.

6. Não sou e nunca fui Coronel, sempre agi com ética e transparência na minha Vida e não tenho nenhum receio de enfrentar a máquina da prefeitura comandada pelo Miguel. Se tenho algum sentimento por ele é de dó pela pessoa que se tornou.

7. As obras citadas do Hospital Regional de Ivaiporã e da ampliação da rede de esgotos foram conquistas da gestão 2013/2016 (Carlos Gil e Dr. Adail).

8. A situação da coação é inversa, pois, se tem alguém que tem coagido os vereadores a fim de não cassar o mandato, esta pessoa tem nome e sobrenome e se chama Miguel Roberto do Amaral, que ofereceu, a vereadores e a suplentes que poderiam votar no processo, cargos de secretários municipais, cargos de confiança, ajuda financeira para a campanha, gratificações TIDE para si, para parentes ou aliados políticos.

9. Quanto ao distanciamento político, mente novamente o prefeito usando de Fakenews quando fala que pedi apoio a ele para o Professor Marcelo Reis. Pelo contrário, pois o comuniquei que já tinha chapa pré montada com o Marcelo Reis e que não o aceitava nem como apoio político, já que estava cansado do mal que ele estava fazendo à população de Ivaiporã com suas atitudes e devaneios.

Ivaiporã/PR, 29 de julho de 2020.

LUIZ CARLOS GIL

Em resposta às falsas alegações perpetradas pelo Prefeito Miguel Roberto do Amaral, em entrevista prestada junto ao Jornal Paraná Centro, posto em circulação em sua versão impressa de edição 1338, de 15 a 21 de julho de 2020, bem como em seu site, no dia 15/07/2020 às 08h:56m, passa a fazer os seguintes esclarecimentos

1. Primeiramente, quanto à alegação de que recorri ao Conselho Superior do Ministério Público por estar insatisfeito com o arquivamento da denúncia pela Promotoria de Justiça de Ivaiporã, afirmo ser falsa referida afirmação, tendo em vista que nunca o fiz e, muito menos, tenho legitimidade para tanto, vez que não sou o autor da denúncia levada ao Ministério Público; e

2. Quanto à afirmação de que estou coagindo vereadores, também é completamente inverídica, vez que isso nunca ocorreu e, muito menos, tenho poderes para tanto. Ademais, válido esclarecer que referida alegação, além de falsa, pode ser tipificada como crime de calúnia, vez que, nos termos do artigo 139 do Código Penal, imputa a mim, falsamente, fato definido como crime.

Ivaiporã/PR, 29 de julho de 2020.

MARCELO DOS REIS

Comentários