Paraná aposta em investimento em infraestrutura para reaquecer economia

O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou um programa de obras de infraestrutura que soma R$ 4 bilhões.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou um programa de obras de infraestrutura que soma R$ 4 bilhões.

O governador Ratinho Júnior anunciou, na semana passada, um programa bilionário de investimentos para reaquecer a economia do Paraná. A proposta é investir cerca de R$ 4 bilhões em projetos de infraestrutura que serão realizados em todo o Paraná. Os projetos envolvem melhorias e modernização de rodovias, estradas rurais em todas as regiões do Paraná, além de um grande investimento no litoral do estado e na segurança pública.

Segundo Ratinho Júnior, parte dos novos projetos foi viabilizada com o financiamento de R$ 1,6 bilhão, recentemente captado pelo Governo do Estado junto ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal. Chamado Paraná em Obras, o programa conta também com valores do Tesouro do Estado, acordos de leniência e parcerias com a Itaipu, além de ações estratégicas com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Os detalhes de cada ação foram apresentados pelo governador em uma coletiva de imprensa no Palácio Iguaçu. Ratinho Junior ressaltou que as obras estão prontas para serem licitadas e a expectativa da gestão é que comecem até o início do ano que vem. Ele ressaltou que o conjunto de ações é resultado de um amplo planejamento iniciado em 2019 e da criação do Banco de Projetos.

Ao falar sobre o banco de projetos, o governador destacou que alguns deles já estão em licitação do projeto e outros estão em andamento para a contratação da empresa que fará a elaboração do projeto. “Essa parte estratégica do Banco do Projetos é importante porque pega bem o centro do Paraná, que pouca infraestrutura teve ao longo dos últimos anos”, informa o Governador. Esses investimentos irão contemplar as principais rodovias da região central e os projetos serão divididos em cinco lotes. Os dois primeiros contemplam a rodovia PR-460 e PR-487, entre Campo Mourão e Pitanga, trecho que recebe quase 2 mil caminhões de transporte de grãos todos os dias; e três lotes nas rodovias PR-466 e PR-272 entre Pitanga e Mauá da Serra, passando por Ivaiporã. Segundo o governador, os projetos irão contemplar a colocação de terceiras faixas, adequação da rodovia e duplicação nos trechos que forem necessários. O projeto de adequação da rodovia PR-466, entre Pitanga e Guarapuava, já está em licitação.

“Assumimos o compromisso de planejar o Estado e fazer do Paraná uma central logística da América do Sul. É um planejamento a médio e longo prazo, que demanda muito investimento público e privado”, disse. “Estamos fazendo a nossa parte em cima deste planejamento, para que as obras saiam do papel no menor tempo possível”, explicou Ratinho Júnior. “Um estado ou o país só se desenvolvem com uma infraestrutura robusta”, ressaltou Ratinho Júnior.

O governador destacou que o Paraná precisava de um grande investimento para modernizar a infraestrutura. “Temos rodovias das décadas de 1970 e 1980 que estão sendo usadas hoje, são de uma época em que o tráfego e mesmo o tamanho dos caminhões eram muito menores”, salientou. “Muitas rodovias do Paraná se tornaram perigosas, porque não houve um aumento na capacidade de carga ou uma preocupação com a segurança”.

A maior parte dos recursos é para a modernização da malha rodoviária estadual, atendendo a reivindicações históricas do setor produtivo, com investimentos próximos de R$ 1,1 bilhão. “As obras foram pensadas de forma estratégica. Se pegar o mapa do Paraná, todas as rodovias que serão revitalizadas para ganhar capacidade de carga, com duplicação ou terceiras faixas, são corredores logísticos. Foram pensadas para a escoar a produção paranaense”, ressaltou Ratinho Júnior.

O programa inclui a ampliação da capacidade de três movimentadas rodovias, que não estão incluídas nos programas de concessão do Estado, melhorando a trafegabilidade e a segurança das estradas. Serão construídos 560 quilômetros de terceiras faixas na PR-280, que corta todo o Sudoeste; na PR-323, entre Maringá e Umuarama, no Noroeste; e na PR-092, no Norte Pioneiro.

Também está incluída no pacote a duplicação de 20 quilômetros da PR-317, entre Maringá e Iguaraçu, no Noroeste. Haverá duplicações em dois trechos da BR-277, um de seis quilômetros no trecho urbano de Cascavel, complementando a obra do Trevo Cataratas, que já está em execução, e outro de 12 quilômetros em Guarapuava.

Outro projeto de duplicação beneficia diretamente o Litoral e vai ampliar a capacidade de tráfego em 13 quilômetros da PR-407, entre os quilômetros 6 e 19, de Paranaguá até Praia de Leste, em Pontal do Paraná. “Vai melhorar a qualidade de acesso ao Litoral, uma região que nunca teve grandes investimentos em infraestrutura. Estamos revertendo esse erro histórico que o Paraná tem com o Litoral”, salientou Ratinho Júnior.

A revitalização da Orla de Matinhos é a “menina dos olhos” entre os investimentos confirmados, ressaltou o governador. Planejado há mais de uma década, é o maior projeto de reurbanização da história do Litoral e inclui intervenções de um trecho de 10 quilômetros da orla e a engorda de uma extensão de 7,5 quilômetros da faixa de areia.

Os recursos chegam a quase R$ 513 milhões. “Faremos investimentos pesados para recuperar o Litoral, melhorar o IDH e o desenvolvimento da região, sempre cuidando da preservação do meio ambiente, com projetos sustentáveis como este”, explicou o governador. “A reurbanização vai melhorar a estética, mas o mais importante é o que está embaixo da terra, que são as macro e micro drenagens que evita enchentes”, ressaltou.

Outro projeto logístico prioritário é nas estradas rurais, que escoam a forte produção agrícola do Paraná. No planejamento do Governo do Estado, consta a pavimentação de 4.163 quilômetros dessas vias, atendendo 2.392 comunidades e 73.165 famílias de 367 municípios do Paraná.

A primeira fase deste projeto será custeada por este financiamento, com a destinação de R$ 126 milhões para pavimentar 400 quilômetros de estradas rurais em todo o Paraná. Os trechos ainda não foram definidos, mas contemplam todas as 23 Regionais da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

Comentários