Alunos da rede municipal recebem kits de alimentos

Juleimara Emerenciano mostra kit entregue às famílias de alunos da Escola Leila Diniz

Juleimara Emerenciano mostra kit entregue às famílias de alunos da Escola Leila Diniz

Os alunos da Escola Municipal Leila Diniz e dos Centros Municipais de Educação Infantil Antonio Carlos Costa e Nossa Senhora Aparecida, de Ivaiporã, receberam, na semana passada, kits de alimentação adquiridos com os recursos da merenda escolar. A proposta de entrega dos kits foi aprovada pelo Conselho Municipal de Alimentação Escolar (CMAE). Cada kit foi composto por meia dúzia de ovos; uma verdura que poderia ser alface, chicória ou repolho; um quilo de fruta, laranja ou banana; um pão e uma bandeja de morango. Antes da entrega, os pais foram consultados se queriam receber os kits; cerca de 1,8 mil kits estão sendo entregues nas 10 escolas e 11 CMEI´s do município.

A nutricionista da Secretaria Municipal de Educação, Daiane Beatriz Sales, ressalta que, assim que a pandemia foi decretada e as escolas fechadas, a Secretaria de Educação fez a entrega dos alimentos que estavam em estoque nas escolas para a assistência social, que providenciou cestas para as famílias carentes. Apenas no mês de julho foi publicado um decreto do Governo Federal regulamentando como o município poderia proceder a entrega dos alimentos da merenda escolar.

Por meio de reuniões com o Conselho Municipal de Alimentação Escolar (CMAE) foi aprovada, inicialmente, a distribuição do kit de alimentos para os alunos que estão em situação de vulnerabilidade social. Foi priorizada a entrega de alimentos da agricultura familiar e, dessa vez, a entrega foi aberta a todas as famílias que desejassem receber os kits. “Como a nossa perspectiva não é do retorno imediato, abrimos essa possibilidade a todas as famílias”, disse a nutricionista.

Ela destaca que essa entrega é importante para manter o vínculo com a agricultura familiar. Atualmente, 58% dos produtos fornecidos às crianças do município são provenientes de pequenos produtores familiares. “Se não fosse realizada essa distribuição, haveria uma quebra nesse ciclo e, provavelmente, quando retornássemos as aulas, não teríamos esses produtos à disposição para a merenda escolar”, comentou.

A nutricionista disse que outra preocupação ao preparar os kits foi pensar em alimentos que fossem saudáveis e evitar os alimentos ultraprocesssados.

A presidente da CMAE, Lígia Belcamino, informou que dentro do conselho existe uma série de setores representados, como agricultores, pais e produtores que se reuniram e definiram a forma como seria feita a distribuição, a escolha dos alimentos e o cronograma de cada escola; todos participaram do processo desde o início.

Produtos da agricultura familiar são priorizados

Produtos da agricultura familiar são priorizados

A diretora da Escola Municipal Leila Diniz, Juleimara Emerenciano, disse que é gratificante para a escola fazer a entrega desses kits, pois além de proporcionar uma alimentação saudável aos alunos, também faz com que as crianças mantenham o vínculo escolar. Além disso, o fornecimento da alimentação é muito importante, pois para muitas crianças, a merenda escolar era o primeiro alimento do dia e não eram raros os casos que a comida consumida na escola era a única refeição que algumas crianças tinham.

Comentários