Consórcio Cid Centro beneficia agricultura familiar

Proprietários mostram produtos comercializados pelo Consórcio Cid Centro

Proprietários mostram produtos comercializados pelo Consórcio Cid Centro

Trabalhar na formalidade é o sonho de todo produtor que sabe que precisa ganhar mercado de forma sustentável. Ele sabe produzir bem, com qualidade, mas precisa de orientação técnica para colocar o produto no mercado, com segurança sanitária. É isso que o Consórcio Cid Centro vem conseguindo na região Central do Paraná, após pouco mais de um mês de atuação.

Atualmente, o Consórcio Cid Centro trabalha na formalização de 52 agroindústrias junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a expectativa é aumentar esse número com a entrada de mais municípios ao consórcio.

A constituição do Consórcio Cid Centro vem desde a formação do Território da Cidadania Paraná Centro, em 2009, para atuação em programas de turismo, meio ambiente e patrulha rural. Posteriormente, em 2015, foi utilizada a mesma estrutura para implantação da Inspeção de Produtos de Origem Animal, como meta para almejar o Sisbi/Suasa - Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal.

A pedido dos chefes de núcleos da Secretaria em Ivaiporã e Pitanga, Vitória Holzmann e José Guilherme Camilo Stipp, representando os prefeitos da região, foi designado um médico veterinário para apoiar as ações do consórcio, que ajuda as agroindústrias na legalização e encaminhamento da documentação necessária, auxilia os municípios a buscarem o SIM (Serviço de Inspeção Municipal), condição fundamental para se incorporar ao consórcio. E atua também na capacitação dos responsáveis pelas agroindústrias. Com isso, as agroindústrias conseguem vender seus produtos em todos os municípios que integram o consórcio, ganhando mercado.

O consórcio agora caminha para se vincular ao Susaf (Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte), para permitir que, mesmo com o SIM, esses produtos possam ser vendidos em todo o Estado.

Para o secretário estadual da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, o alvo prioritário foi atender a região central, que ficou para trás diante de outras regiões que avançaram em geração de empregos e renda. “Era preciso encontrar fórmulas para alavancar projetos nessa região e encontramos na regularização e fortalecimento das agroindústrias locais essa oportunidade”, disse.

Para um dos organizadores do Consórcio Cid Centro, o veterinário da Seab, Carlos Eduardo dos Santos, o trabalho de regularização das agroindústrias sempre esbarrava em dificuldades de documentação, falta de adequação dos equipamentos e um agravante que é a falta de jovens trabalhando nas propriedades rurais. “Com o produtor mais idoso, temos menos efetividade nos projetos e mais dificuldades em avançar”. Para Santos, está sendo desafiador conquistar os jovens filhos dos produtores rurais para esse projeto.

Atualmente, o Consórcio Cid Centro atende 30 municípios na região Central do Estado, com 571 mil habitantes. O município com menos habitantes é Altamira do Paraná, com 1.900 habitantes, e o maior, Guarapuava, com 180 mil. E tem proposta de adesão de mais 13 municípios, o que deverá aumentar o público consumidor desse mercado.

Uma das agroindústrias beneficiárias desse processo é a Frango Caipira Sertanejo, de Nova Tebas, uma das pioneiras do Consórcio Cid Centro. Há cerca de um mês, a empresa vendia os frangos apenas em Nova Tebas, abatendo em torno de 1.000 aves por mês. Com a abertura de mercado, a proprietária Maria Aparecida Giroldo viu seu faturamento dobrar. Ganhou mercado nos municípios do entorno como Manoel Ribas, Pitanga, Ivaiporã, Cândido de Abreu, Iretama e Roncador.

Nesses municípios, conquistou a confiança de uma rede de supermercados, a Paraná Supermercados, que lhe abriu as portas para novos clientes. Hoje, Maria abate e comercializa em torno de 2 mil frangos por mês. Para atender ao aumento da demanda, ela estendeu um dia de abate na semana e contratou sete funcionários.

“Essa conquista abre as portas para o produtor rural”, comemorou. Agora, ela está indo de município em município para lançar sua marca de frangos, sem medo de enfrentar concorrências tradicionais de mais de 20 anos de mercado e com poder de fogo com as marcas consagradas já conhecidas do grande público.

Maria Aparecida citou como exemplo o Supermercados Paraná, que além de abrir as portas para seu produto, a tratou muito bem, reservando-lhe o melhor local, o melhor refrigerador, próximo do açougue, considerado um lugar nobre no mercado, conta. “Se outros grandes supermercados comprarem essa causa, o pequeno produtor pode se viabilizar”, aposta Maria Giroldo.

PEIXES - Outro beneficiário do Cid Centro é o produtor Edilson Pini Inácio, da Piscicultura Lajeado, de São João do Ivaí. Incorporado ao Cid Centro há pouco mais de um mês, Inácio viu seus negócios se expandirem na região.

Com a abertura de mercado para mais de 30 municípios participantes do consórcio, Inácio viu seu mercado se expandir para um público de 700 mil pessoas. E está mais animado ainda porque o consórcio está na expectativa de incorporar mais 13 municípios até os limites da região Norte, que vai agregar mais 200 mil consumidores, portanto, poderá explorar um mercado de 900 mil pessoas de Guarapuava a Arapongas. “O que não é pouco”, admite ele.

O produtor agradeceu a oportunidade ao governador Carlos Massa Ratinho Júnior, ao secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, e aos dirigentes do IDR Paraná e Adapar, que vestiram a camisa da região central e estão auxiliando todas as agroindústrias da região. Ele é um entusiasta do desenvolvimento regional e acredita que, dessa vez, a região central do Paraná vai dar um salto. “Essa era a ajuda que a gente precisava. Estou vendo a vontade de ajudar no governador Ratinho Junior, no secretário Ortigara e nos demais. Agora precisamos vencer as barreiras das instituições financeiras”, afirma.

“Com mais crédito, tenho certeza que nossos projetos serão alavancados e vamos romper as dificuldades e gerar emprego e renda aqui na região”, aposta.

Comentários