Carlão não concorrerá à reeleição e faz balanço do trabalho na prefeitura de Ariranha do Ivaí

Prefeito de Ariranha do Ivaí relata dificuldades nesse momento na prefeitura

Prefeito de Ariranha do Ivaí relata dificuldades nesse momento na prefeitura

Desde que a Câmara de Vereadores de Ariranha do Ivaí afastou o prefeito Augusto Cicatto, em uma CEI que apurou uma suposta compra irregular e não pagamento de remédios em uma farmácia da cidade, o vice-prefeito Carlos Bandeira de Mattos assumiu a prefeitura. No cargo desde o dia 7 de agosto, Carlão está sem saber até quando permanece no cargo. “Eu sei que o Cicatto está correndo atrás para voltar ao cargo e, se ele conseguir, espero que aconteça logo, para que ele possa concluir o mandato”, frisou.

Carlos Bandiera de Mattos ressalta que, ao assumir na prefeitura, solicitou junto ao setor de contabilidade um balanço da situação do município sobre os compromissos até o final do ano e uma previsão de arrecadação para ver o que poderia ser feito. “A informação que recebi é que a situação é difícil e teremos que segurar os gastos, por isso, dispensei alguns cargos comissionados e não coloquei ninguém no lugar. Isso para reduzir os custos e fazer economia para fechar o mandato”, comenta o atual prefeito.

Ele também lamenta que, durante o atual período, não é possível buscar recursos junto ao Governo Federal ou Governo do Estado para realizar obras ou outras melhorias e que o principal objetivo é conseguir fechar as contas da prefeitura em dia. “Estou pedindo a compreensão da população de Ariranha do Ivaí, pois muitas coisas que as pessoas irão pedir não vou poder atender. Houve alguns problemas na prefeitura até então e estamos atendendo muitos pedidos de informações do Ministério Público”, ressalta.

Questionado sobre sua participação na gestão, Carlos Mattos disse que nunca teve espaço para ajudar o prefeito afastado. “A gente tinha uma proposta durante a campanha, que teria a sala do vice-prefeito no prédio da prefeitura; nos primeiros seis meses do mandato eu pedi para instalar, mas como ele não atendeu, eu parei de pedir, mas sempre me coloquei à disposição para o que fosse necessário”, relata. No entanto, no início de 2019, vendo que não teria espaço na gestão, Carlão informou ao prefeito Cicatto que continuaria à disposição dele, no que fosse necessário na gestão do município, mas que, pensando em uma possível reeleição, ele não iria mais compor a chapa majoritária. “Nunca tive problemas pessoais com ele, tenho admiração pela pessoa dele e não gostaria de ter assumido nessa situação, mas como poderia ser responsabilizado por omissão, estou cumprindo meu papel, mas deixando bem claro que sou responsável pelo que acontecer a partir do dia 7 de agosto e enquanto eu estiver como prefeito”, comenta.

Carlão afirmou que não irá se candidatar a prefeito, mesmo estando à frente da prefeitura nesse momento. “Antes de assumir, tive algumas conversas com determinados grupos políticos e muitas pessoas falavam para que eu fosse candidato a prefeito novamente, mas acho que temos que dar espaço para outras pessoas que estão querendo e têm o direito de mostrar seu trabalho, por isso, vou me concentrar em terminar o mandato ou cumprir da melhor forma possível até o dia que eu ficar e deixar a prefeitura em ordem para o próximo prefeito”, afirmou Carlos Bandiera de Mattos.