Enfermeiro recuperado da Covid-19 pede conscientização no combate à doença

Enfermeiro do Instituto de Saúde Lucena Sanchez se emociona ao deixar hospital

Enfermeiro do Instituto de Saúde Lucena Sanchez se emociona ao deixar hospital

O enfermeiro Jovane Antônio da Silva, 45 anos, que trabalha no Instituto de Saúde Lucena Sanchez, em Ivaiporã, se recuperou da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, e foi aplaudido pela equipe do hospital, onde ficou internado em leito de enfermaria, por uma semana. O profissional de saúde recebeu alta médica no dia 16 de agosto, três dias antes da esposa dele, Daniele Gonçalves Retamiro, de 39 anos, que apresentou sintomas leves da doença e também ficou internada na enfermaria do Instituto Lucena Sanchez.

Em um vídeo gravado por colegas de trabalho, o enfermeiro é aplaudido e deixa o hospital visivelmente emocionado. “Logo você estará aqui de novo trabalhando com a gente”, disse uma enfermeira na mensagem.

Após apresentar dor de garganta, calafrio, febre e falta de ar, Jovane fez o exame e foi diagnosticado com o novo coronavírus e, dias depois, precisou ser hospitalizado, ficando internado do dia 10 a 16 de agosto. Depois de receber alta da unidade hospitalar, Jovane foi para casa, onde cumpriu isolamento domiciliar. “Esse comprometimento pulmonar, que é a fase 2 da doença, dá muita angústia, dificuldade para respirar, por isso, precisei ficar no oxigênio para manter a saturação sanguínea, observar a evolução da doença e tomar as medicações preconizadas para combater o vírus”, explicou Jovane Silva, citando que o quadro de saúde dele era considerado moderado/grave.

O enfermeiro lembrou que nem sempre a idade da vítima ou alguma comorbidade diz alguma coisa sobre quem corre mais o risco de ser contaminado pelo vírus. “A chave de tudo isso é a imunidade, quem tem a imunidade deficitária tem um risco maior”, opinou.

Jovane Silva e a esposa Daniele Retamiro ficaram internados na enfermaria

Jovane Silva e a esposa Daniele Retamiro ficaram internados na enfermaria

Jovane Silva frisou que a doença afeta os aspectos físico, emocional e psicológico de quem é contaminado, por isso, o apoio e as orações de amigos e familiares são fatores fundamentais para a recuperação. “Nesse momento de incerteza e medo, você precisa de alguém que o conforte e o apoie. Para quem passa por isso, o medo impera, minha maior preocupação era deixar meus filhos, de 12 e 15 anos de idade, órfãos”, contou.

Ele relatou que, após receber alta, não conteve a emoção e agradeceu aos profissionais que cuidaram dele e aos amigos que fizeram uma corrente de oração pela recuperação. “Por eu ser profissional da saúde, sei como funciona, é emocionante e gratificante a sensação de voltar para casa. Agradeço, primeiramente, a Deus e a toda equipe do Instituto Lucena Sanchez que me ajudou a vencer a Covid-19”, afirmou.

Em 24 anos como profissional de saúde, Jovane nunca presenciou algo tão grave como a pandemia de coronavírus e, por ter sido vítima da doença, fez o alerta para a comunidade se cuidar e respeitar as normas técnicas da Vigilância Sanitária. “A conscientização deve ser mais aguçada para preservar a vida e não contaminar pessoas inocentes. É um novo momento de nossas vidas, muitas pessoas como eu vão se recuperar, mas nem todos terão essa chance”, reforçou.

O enfermeiro voltou à rotina de trabalho no Instituto de Saúde Lucena Sanchez, onde atua na linha de frente do combate à pandemia. “A vida tem que continuar, porque sou profissional da saúde, sou linha de frente e vou continuar na luta porque Deus me deu esse dom de ajudar as pessoas a se recuperar dessa e de outras doenças”, finalizou Jovane Silva.

Comentários