Prêmio Gestor Público Paraná tem 175 projetos inscritos na 8ª edição

As inscrições para a oitava edição do Prêmio Gestor Público Paraná (PGP-PR), promovido pelo Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita do Estado do Paraná (Sindafep), com apoio do Tribunal de Contas do Estado, se encerraram na sexta-feira (31 de julho), com a apresentação de 175 projetos, de 70 municípios. Mesmo durante a pandemia da Covid-19, o Comitê Técnico decidiu manter a premiação, que reconhece as boas práticas da gestão pública e é uma das mais importantes desse segmento no país.

A edição 2020 apresentou o segundo maior número de iniciativas inscritas em sua história, ficando atrás apenas da 7ª edição, em 2019, que teve o recorde de 200 projetos inscritos, de 79 cidades. “Foi um desafio que nós, desde o primeiro momento, decidimos enfrentar. Manter o prêmio foi uma forma de reconhecer que os municípios estão trabalhando, não só na saúde, mas também no meio ambiente, na segurança, entre várias outras áreas”, afirma Laerzio Chiesorin Junior, coordenador-geral do prêmio. A partir de agora os projetos passarão por uma pré-análise para verificar se serão homologados ou não.

Buscando manter a saúde e a segurança dos avaliadores e inscritos nos projetos, o PGP-PR mudou a forma das avaliações, que poderão ser feitas por meio de videoconferência, contando com diversas formas para comprovação de execução das iniciativas, como vídeos, fotos, reportagens de jornais e documentos. Os avaliadores entrarão em contato para agendar a entrevista, informando também quais os itens obrigatórios de apresentação.

Com o tema do ano sobre Empreendedorismo: Idealizar, Realizar e Transformar, o PGP-PR busca iniciativas que inovam na gestão pública e que melhoram a qualidade de vida dos paranaenses, tornando o serviço público mais dinâmico e eficiente. Entretanto, projetos de várias áreas de governo podiam ser inscritos. “É um prêmio que reconhece iniciativas em diversas áreas, o que coloca os municípios menores em igualdade com as grandes cidades na hora de concorrer”, explica Chiesorin Junior.