Fisioterapeuta enfatiza importância de fortalecer sistema respiratório

Encher bexigas é um exemplo de exercício que fortalece musculatura respiratória. Por: Foto/divulgação

Encher bexigas é um exemplo de exercício que fortalece musculatura respiratória

Fonte: Foto/divulgação

A pandemia provocada pelo coronavírus (Covid-19) trouxe à tona a importância da fisioterapia respiratória como medida preventiva em grupos de risco como, por exemplo, os idosos.

A fisioterapeuta do Instituto de Saúde Bom Jesus, de Ivaiporã, Débora Dias, explicou que a fisioterapia respiratória visa melhorar a dinâmica respiratória e a distribuição do ar inalado pelo pulmão, otimizando o transporte do oxigênio, prevenindo, revertendo ou minimizando as disfunções pulmonares.

Durante o exercício, dois dos órgãos mais importantes do organismo entram em ação: o coração e os pulmões. Os pulmões fornecem oxigênio ao corpo, para proporcionar energia e remover o dióxido de carbono. O coração bombeia o sangue oxigenado até aos músculos que estão a desempenhar o exercício.

Segundo a especialista, o coronavírus pode causar uma inflamação muito grande nos pulmões, afetando diretamente essa troca gasosa e, por consequência, pode levar à insuficiência respiratória, ou seja, a dificuldade de respirar. Diante disso, o processo de reabilitação é fundamental durante e após a cura, pois pacientes encubados se veem com espaço limitado, aumentando o tempo deitados, podendo levar a perdas musculares, funcionais e complicações cardiorrespiratórias. “O papel da fisioterapia estará diretamente ligado à reabilitação dessas perdas causadas pelo imobilismo e complicações decorrentes do vírus, melhorando o funcionamento respiratório e físico do paciente, objetivando aliviar seus sintomas e aumentar suas atividades funcionais. E orientações, como, por exemplo, a posição prona, técnica, conhecida como ventilação de bruços, melhora a oxigenação dos pulmões”, explicou Débora Dias.

Conforme a fisioterapeuta, doença causa não somente déficits funcionais e respiratórios, bem como psicológicos, como o medo e a ansiedade. Por isso, ela deu dicas de exercícios que podem ser realizados por esses grupos para distrair durante a quarentena: sentar-se e levantar-se da cadeira para fortalecer as pernas; após apoiar os pés no solo, levante o calcanhar, fique na ponta dos pés e depois encoste novamente o calcanhar no chão; para os braços, podem-se realizar movimentos como dobrar e esticar o cotovelo, trazendo as mãos para perto do peito; colocar uma linha reta no corredor usando uma fita no chão e tentar andar em cima dela é um bom exercício de equilíbrio; subir e descer escadas ou degrau sempre apoiado a uma parede também ajuda a fortalecer as pernas e ainda serve de exercício aeróbico; deitar de barriga para cima com os joelhos dobrados e pés apoiados no chão e com os braços posicionados ao lado do corpo, levantar o bumbum, abaixe de volta ao chão e repita, lembrando que esses exercícios podem ser realizados em 3 séries de 10 repetições, de acordo com a tolerância.

Ela recomendou ainda alguns exercícios para fortalecer a musculatura respiratória e aumentar a capacidade pulmonar, como por exemplo, exercite a respiração normal: inspire pelo nariz (puxe o ar) uma vez e expire pela boca (solte o ar) uma vez. Faça três séries de dez repetições duas vezes ao dia (de manhã, após o café, e à noite, antes de dormir), com intervalo de um minuto entre as séries; puxe o ar duas vezes pelo nariz sequencialmente e solte-o duas vezes pela boca da mesma forma. Faça duas séries de dez repetições, com intervalo de um minuto entre elas, duas vezes ao dia (manhã e noite); amplie o exercício anterior: puxe o ar três vezes pelo nariz sequencialmente e solte-o três vezes pela boca da mesma forma. Faça duas séries de dez repetições duas vezes ao dia (manhã e noite), com intervalo de um minuto entre elas; para manter o ar por mais tempo nos pulmões, incentivando o aumento da ventilação, puxe o ar pela boca uma vez e o segure de cinco a dez segundos. Libere o ar de uma vez pela boca, na sequência, de forma rápida. Faça duas séries de dez repetições pela manhã e à noite, com intervalo de um minuto entre as séries; para expandir a caixa torácica, puxe o ar pela boca uma vez enchendo bem o tórax, elevando os braços simultaneamente. Solte o ar lentamente, abaixando os braços. Faça duas séries de dez repetições pela manhã e à noite; sentado em uma cadeira estável, encha bexigas lentamente, observando que em pacientes ainda encubados, a cada vez que expira (solta o ar), aumenta a quantidade de partículas no ar, então quando forem fazer os exercícios, façam em um cômodo sozinho para evitar a contaminação.

Comentários