Paróquia Sant’Ana realizará eventos virtuais na festa da padroeira de Pitanga

Paróquia Sant’ana terá missas e novenas transmitidas pela internet

Paróquia Sant’ana terá missas e novenas transmitidas pela internet

O padre Gilson Dembenski confirmou que a Paróquia Sant’Ana de Pitanga realizará, entre os dias 17 e 26 de julho, a 86ª Festa da Padroeira de Pitanga. Com as restrições em vigor, em função da pandemia da Covid-19, apenas a parte religiosa será realizada nesse ano. As atividades têm início na sexta-feira, dia 17 de julho, com o início da novena, sempre às 19h00. Os fieis podem participar retirando os convites de forma antecipada na secretaria da paróquia. Para cumprir com as determinações das normas sanitárias e as orientações da Secretaria de Saúde de Pitanga, a igreja tem um número limitado de pessoas que podem acompanhar as missas e celebrações no local, respeitando a distância mínima de 2 metros entre os participantes, uso de máscara e higienização das mãos na entrada e na saída do evento.

As pessoas que não conseguirem retirar os convites ou que se enquadram nos grupos que não podem participar do evento, como idosos, pessoas com baixa imunidade, doenças crônicas, crianças, gestantes, entre outros, poderão acompanhar de casa, pela página no facebook da paróquia.

Entre os dias 21 e 25 de julho haverá lives com cantores católicos de Pitanga e região, começando às 20h00, que só poderão ser acompanhadas pela internet. A festa será encerrada no dia 26 de julho, dia de Sant’Ana, com uma missa às 10h00, que será celebrada pelo bispo Dom Amilton Manoel da Silva, recém-chegado à diocese de Guarapuava, também com acesso limitado de pessoas.

Segundo o padre Gilson Dembrinski, foi basicamente mantida a parte espiritual, onde é possível ter um controle maior do número de pessoas e, com isso, manter o distanciamento social. A parte tradicional da festa, com a venda de pastéis, binguinho, salgados, entre outros, não é possível nesse momento, justamente para cumprir o distanciamento social. A parte de arrecadação de recursos, que também é importante para a paróquia, será estimulada por meios de doações espontâneas e parte da renda será revertida para os cantores que vivem da música e estão em uma situação financeira bastante complicada.

O pároco destaca que manter a festa na data prevista é, principalmente, para fortalecer a parte espiritual da comunidade católica de Pitanga. “Para realizar as atividades que ocorreriam no salão paroquial, como a comercialização de alimentos, seria difícil controlar as aglomerações e, de certa forma, também seremos solidários aos comerciantes, evitando que a paróquia solicite brindes e recursos junto às empresas, que passam por um momento complicado”, frisa o pároco Gilson Dembrinski.

Comentários