Ivaiporã confirma mais 18 casos de Covid-19

A Prefeitura de Ivaiporã divulgou no início da noite dessa sexta-feira, 3 de julho, um novo boletim epidemiológico com a atualização dos casos da Covid-19. Segundo o relatório, foram 15 casos confirmados por PCR, que vieram do Lacen (Laboratório Central do Paraná) e outros três resultados por laboratório particular, sendo dois pelo método do teste rápido e um também pelo PCR, totalizando 18 novos casos de coronavírus. Com isso, Ivaiporã totaliza 164 casos positivos da doença, com 89 pessoas recuperadas. Outros 71 pessoas estão em isolamento domiciliar e uma está internada, com a doença.

85 exames foram descartados nessa sexta-feira e, com isso, o município já contabiliza 655 exames negativos. 264 pessoas ainda aguardam o resultado de exames, sendo que duas pessoas estão internadas com a suspeita da Covid-19. São 93 pessoas a menos que no boletim de ontem, dia 2 de julho.

Nessa sexta-feira, dia 3 de julho, foi realizada uma reunião na prefeitura com representantes do Ministério Público, empresários, Departamento de Saúde e demais setores do município de Ivaiporã. Após cerca de duas horas de debate, a decisão do prefeito Miguel Amaral foi de manter em vigor o decreto, com o fechamento das atividades não essenciais por 14 dias. As medidas serão reavaliadas em nova reunião, marcada para o dia 10 de julho.

Sensível aos apelos dos empresários presentes à reunião, o prefeito de Ivaiporã disse que sente pelo comércio que estão fechados, mas disse que a medida indicada pelo corpo técnico do Departamento Municipal de Saúde visa quebrar o ciclo de transmissão do vírus, que já é considerado de transmissão comunitária e, para isso, são necessárias as duas semanas. “Se eu voltar atrás na medida e a situação fugir do controle, eu serei o culpado, por isso, então peço mais um sacrifício de todos para vencer mais essa semana e conseguir controlar a situação”, disse o prefeito durante a reunião.

Ele comentou que se os números de novos casos suspeitos se mantiverem em queda, haverá a reabertura do comércio e, nos próximos decretos, essa medida será evitada ao máximo.

Comentários