Compra Direta Emergencial distribuirá quase 25 toneladas de alimentos para entidades da região

Representantes da associação de produtores assinam convênio. Por: Foto/divulgação

Representantes da associação de produtores assinam convênio

Fonte: Foto/divulgação

As entidades da região central do Paraná começarão a receber, nos próximos dias, os alimentos adquiridos por meio do programa Compra Direta Emergencial do Governo do Estado. Na semana passada, a Seab (Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento) começou a assinatura dos contratos com as associações de produtores e cooperativas que irão fornecer os alimentos para as entidades. Na área de atuação do núcleo regional da Seab de Ivaiporã, serão duas entidades de produtores que vão realizar entregas ao programa. A cooperativa Cocavi de Jardim Alegre e a Associação de Produtores Rurais de Lunardelli. Todos os 15 municípios da área de jurisdição da Seab de Ivaiporã receberão os alimentos. Além dos Cras (Centros de Referência de Assistência Social) de cada cidade, as entidades que estão funcionando também serão beneficiadas, como hospitais, asilos e Casa Lar. No total, são 31 entidades beneficiadas, com uma entrega inicial para o mês de julho de 24,7 mil quilos e um investimento do Governo do Estado de R$ 138,6 mil.

O programa funcionará por três meses e as entidades irão receber produtos como arroz, feijão, frutas, hortaliças, legumes, ovos, sucos, temperos, pães, bolachas e doces.

O técnico do Desan (Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional) da Seab de Ivaiporã, Carlos Alberto Ferreira, comenta que as entidades que continuam atendendo e foram afetadas pela pandemia com o recebimento de recursos e doações serão beneficiadas com o recebimento dos alimentos. Os Cras de cada município poderão montar cestas verdes com alimentos, frutas e verduras e distribuir às famílias carentes. A Seab vai fazer o acompanhamento das entregas às entidades e da qualidade dos alimentos fornecidos, para evitar a destinação incorreta e também evitar o uso político, para que os alimentos cheguem a quem realmente precisa. “Não é um valor muito alto para a cooperativa ou associação, mas é um valor que vai colaborar com o produtor, principalmente, nesse momento de dificuldade de escoamento da produção, já que temos mercados fechados, dificuldade de entrar em algumas cidades e, com isso, ideia é valorizar o produtor rural e as associações”, salienta Carlos Ferreira.

A chefe do núcleo da Seab de Ivaiporã, Vitória Montenegro Holzmann, vê essa mudança com bons olhos, principalmente, para os produtores de hortaliças, frutas e panificados. “Com isso, eles terão um canal de comercialização, pois muitos estavam parados e com dificuldade de escoar a produção; mas a partir de agora isso será possível”, frisa a chefe da Seab. Ela ressalta que esse apoio é importante nesse momento de dificuldade e também pode ajudar os produtores a aprender mais sobre comercialização.

O prefeito de Lunardelli, Reinaldo Grola, ressalta que vários pequenos produtores estavam produzindo para a merenda escolar, mas com a pandemia e suspensão das aulas, eles não têm para quem entregar. “Esse programa vem em ótima hora, pois vai ajudar os produtores, pois muitos deles não estão sabendo o que fazer, pois a venda para a merenda escolar era fundamental para completar a renda familiar; para a prefeitura também será importante, pois esses produtos serão entregues no Cras e ajudarão famílias que precisam”, frisa o prefeito.

Comentários