Comitê Paralímpico Brasileiro lança protocolo de segurança para volta das atividades

Paratleta de Cruzmaltina ainda não sabe data de retorno aos treinos presenciais

Paratleta de Cruzmaltina ainda não sabe data de retorno aos treinos presenciais

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) lançou no dia 11 de junho, um protocolo de retorno seguro às atividades esportivas dos atletas paralímpicos do Brasil. O documento, que contou com a coordenação do médico-chefe do CPB, Hésojy Gley, e apoio das áreas técnicas, enfermagem e fisioterapia.

As orientações poderão servir de modelo para retorno das atividades em espaços esportivos paralímpicos espalhados pelo Brasil, como os Centros de Referência Paralímpico (CRP), e demais estruturas ligadas direta ou indiretamente a atletas e praticantes de esportes paralímpicos, ou atividades físicas para pessoas com deficiência.

O Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro (CTPB), em São Paulo, permanece com as atividades, calendário de competições e treinamentos suspensos por tempo indeterminado.

Grande parte do conteúdo do protocolo foi baseada em exemplos e parâmetros até agora bem sucedidos adotados por entidades nacionais e internacionais, sejam no âmbito da saúde ou do esporte.

O atleta paralímpico de Dinizópolis, distrito de Cruzmaltina, Edevaldo Pereira da Silva, que antes do início da pandemia estava participando do 2º período de treinamento prolongado no CTPB, disse que os atletas não receberam informação sobre a data em que poderão retomar as atividades na capital paulista, mas acredita que, quando isso acontecer, o CPB deve convocar os atletas de São Paulo num primeiro momento para depois chamar os que residem em outras localidades.

Edevaldo Silva comentou que o Comitê Paralímpico acompanha virtualmente os treinos de todos os atletas e, duas vezes por semana, os atletas respondem questionários que avaliam a saúde física e mental deles. “Estou fazendo o treinamento por chamada de vídeo com meu técnico que mora em Cambé, e esses treinos são filmados e enviados para o comitê avaliar semanalmente a nossa condição”, destacou.

Comentários