Barroso admite adiamento das eleições

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luis Roberto Barroso, admitiu em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo que as eleições municipais de 2020 devem mesmo ser adiadas, mas irão ocorrer ainda nesse ano. Ele disse ao jornal que, recentemente, se reuniu com médicos de diferentes especialidades por videoconferência e a opinião da grande maioria é que as eleições devem ser adiadas por algumas semanas. Pois a tendência é que, no mês de setembro, a curva da pandemia esteja caindo em todo o Brasil. No entanto, ele alerta que a decisão do adiamento é do Congresso Nacional. A sugestão de adiamento já foi encaminhada aos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre.

A sugestão do TSE é que a janela de eleições ocorra entre os dias 15 de novembro e 20 de dezembro, sendo essa data o limite máximo para a realização do segundo turno das eleições municipais e, dessa forma, haveria tempo hábil para que os novos prefeitos pudessem ser empossados no dia 1 de janeiro.

Uma das medidas de segurança que estão sendo estudadas para o dia da eleição é a ampliação do horário de votação, das 8h00 às 20h00, além de horários diferentes para determinadas faixas de idade e distanciamento entre as pessoas nas filas de votação. A expectativa é que a decisão sobre o adiamento das eleições ocorra ainda no mês de julho.

Comentários