Departamento de Meio Ambiente orienta com relação ao descarte de móveis

Descarte irregular é flagrado em Ivaiporã

Descarte irregular é flagrado em Ivaiporã

O Departamento Municipal de Meio Ambiente de Ivaiporã alerta a população sobre o descarte irregular de móveis e eletrônicos. Na semana passada, a reportagem do jornal Paraná Centro fotografou um sofá velho jogado em uma estrada vicinal, nos fundos da Vila Residencial de Furnas. Segundo informações do órgão municipal de defesa do meio ambiente, são inúmeros casos denunciados ao departamento e várias pessoas, que foram flagradas deixando esses materiais no meio ambiente, foram notificadas e multadas pelo município.

O diretor municipal Alaércio Bufalo comenta que, quando é possível a identificação da pessoa que realizou o descarte irregular, inicialmente, ela é orientada verbalmente pela equipe de fiscalização a fazer a retirada e o descarte correto do objeto. Caso não atenda ao pedido, é realizada uma solicitação formal e, em caso de não obediência, a pessoa é multada e pode, inclusive, dependendo da contaminação ou da quantidade de material descartado, responder por crime ambiental, além das multas previstas na lei municipal. “Temos tido um grande número de ocorrências nesse sentido e, por isso, é importante que antes de fazer o descarte de um móvel usado ou de um eletrodoméstico, a pessoa entre em contato com o departamento para receber as orientações necessárias”, ressalta Alaércio Bufalo. O telefone é (43) 3472-2620.

Ele alerta também que esse tipo de ocorrência está se tornando comum na área rural e que, recentemente, uma situação dessas foi flagrada no distrito de Sabugueiro, onde o autor do descarte irregular foi identificado e teve que ir até o local e regularizar a situação.

De forma geral, móveis de madeira e sofás podem ser descartados em caçambas de entulho ou por meio do serviço de recolhimento, que faz a destinação correta. Já produtos eletrônicos como televisores, computadores, aparelhos em geral podem ser entregues na cooperativa de reciclagem da cidade e em algumas empresas do município, que fazem esse trabalho.

Já os móveis da chamada linha branca, como geladeiras e fogões, entre outros, podem ser descartados em ferro velho. “A lei determina que quem deve dar a destinação correta do resíduo é o gerador, por isso, quando o cidadão for fazer um descarte ele é responsável por isso”, afirma Valdinei Spalak, técnico de meio ambiente.

Denúncia

Os moradores que flagrarem uma situação de descarte irregular podem fazer a denúncia ao Departamento de Meio Ambiente. A orientação é que a pessoa consiga identificar a placa e veículo que realizou o descarte e, se possível, produzir alguma imagem ou vídeo. O departamento garante que haverá sigilo da fonte. “Precisamos combater isso, pois além de ser um crime ambiental, dependendo do tipo de descarte, pode causar uma grande contaminação ao meio ambiente”, frisa Alaércio.

Comentários