Casa das Fraldas produz máscaras para doação

Voluntários trabalham na fabricação de máscaras. Por: Divulgação

Voluntários trabalham na fabricação de máscaras

Fonte: Divulgação

Voluntários da Casa das Fraldas, mantida pela Fundação Beneficente de Ivaiporã, estão confeccionando e distribuindo gratuitamente máscaras nas ruas do centro de Ivaiporã para auxiliar a população durante o enfrentamento ao COVID-19.

Recentemente, foram doadas mais de 1.000 unidades do equipamento de proteção individual para pessoas que estão incluídas no grupo de risco da doença, e precisam enfrentar filas em agências bancárias, supermercados e lojas e que não têm condições de adquirir o acessório. Farmácias, agências bancárias, escritórios de contabilidade, consultórios médicos, dentários, lanchonetes e igrejas também foram beneficiados com a doação.

Conforme informações do presidente da Fundação Beneficente de Ivaiporã, José Carlos Pinto, a Casa das Fraldas tem exercido o trabalho social com a produção de fraldas para famílias em situação de vulnerabilidade cadastradas, mas, nesse momento de pandemia, já fabricou aproximadamente 2700 máscaras de tactel, mesmo material utilizado na produção de fraldas, para doação à comunidade, além de 14 kits para costura, com 50 peças cada kit. “Nós temos bastante matéria prima para a confecção de máscaras, nossa maior dificuldade está sendo encontrar costureiras para continuar produzindo, além da colaboração dos voluntários, que foram divididos em grupos, estão trabalhando de luvas e higienizando as mãos com álcool gel 70% para ajudar a maior quantidade de pessoas a se proteger”, explicou José Carlos Pinto.

Outra atividade realizada pela fundação, o projeto Flauta Doce, que atende crianças de escolas municipais de Ivaiporã, está parado durante o período em que durar a pandemia. No entanto, José Carlos Pinto salientou que o recurso está sendo destinado à compra de cestas básicas para famílias carentes do município. “Estamos aqui para fazer o bem ao próximo, por isso, agradeço aos colaboradores da fundação pelo apoio prestado”, disse.

Marcos Aurélio Louzada e Edezio Maioli, colaboradores da Casa das Fraldas, também fizeram questão de agradecer aos parceiros da entidade no trabalho de costura das máscaras de proteção, neste período tão delicado que a saúde está passando.

Comentários