Falta de chuvas pode afetar produção do milho safrinha

Lavouras podem ser afetadas com falta de chuvas

Lavouras podem ser afetadas com falta de chuvas

A falta de chuvas nas últimas semanas ainda não prejudicou de forma grave as lavouras de milho safrinha que estão sendo cultivadas na região de Ivaiporã. Essa, pelo menos, é a constatação do engenheiro agrônomo Fernando Soster, responsável pelo departamento técnico da unidade da Coamo de Ivaiporã. Segundo o profissional, houve algumas chuvas esparsas e, mesmo com uma janela de 18 dias sem chuvas, ainda não causou uma perda significativa. Ele ressalta que essa previsão é de uma produtividade média e não calculada sobre o potencial máximo que as lavouras podem oferecer.

No entanto, Soster comenta que a partir de agora, a cada dia sem chuva a situação pode começar a se agravar e acumular perdas, especialmente porque o milho começa a entrar em uma fase mais crítica de florescimento e pendoamento, em que é necessário que o solo esteja úmido. “Se essa estiagem avançar por mais uma semana, sem que ocorram chuvas consideráveis, aí o cenário começa a ser preocupante e teremos perdas, com certeza; mas até o momento ainda não contabilizamos perdas”, avalia.

Plantio de trigo

Soster comenta que desde o dia 21 de abril já está aberta a janela para o plantio da safra de trigo de 2020. O período recomendado para a semeadura vai até o final de maio, mas o agrônomo comenta que, se a estiagem persistir, fica um pouco mais difícil o plantio para quem tem uma área extensa para cultivar. Para os produtores que pretendem fazer o chamado plantio no pó, a recomendação que eles façam a semeadura a partir dessa semana, para que não ocorra um crescimento irregular da lavoura. “Nesse momento, o produtor precisa estar focado na dessecação e observar que tipo de erva ele tem no local para que ele possa fazer um controle eficiente”, recomenda. Outro fator que precisa ser observado pelo produtor tem relação com o controle da soja espontânea, a chamada soja tiguera, que nasce de resto de sementes que ficam no solo após o plantio. O agricultor precisa ficar muito atento a isso e já entramos em uma janela de vazio sanitário e é preciso eliminar todas as plantas de soja que ficaram, para que não ocorra a proliferação da ferrugem asiática.

Para quem pretende plantar o trigo, a recomendação técnica é que espere que ocorra a primeira chuva, já que é mais seguro plantar após uma chuva e com o solo úmido. A exceção é para que tem muita área para plantar, que não pode esperar muito pelo risco de não conseguir efetuar o plantio durante a janela. “Ainda temos uma janela boa para o plantio, mas o produtor precisa ficar atento”, comenta.

Previsão de inverno normal

A previsão é que o inverno de 2020 tenha um clima dentro da normalidade, com poucas chuvas e geadas leves. “O que está ocorrendo, até o momento, não é algo diferente do que já vimos ocorrer em outras épocas”, comenta Fernando Soster. Com relação à área de trigo, ele acredita que ela deve diminuir em torno de 15% em relação à safra anterior, área que acabou ocupada pelo milho segunda safra.

Comentários