Saudade aperta em tempos de quarentena

Camila Neves se reúne diariamente com a família em aplicativo de celular

Camila Neves se reúne diariamente com a família em aplicativo de celular

Saudade é um sentimento causado pela distância ou ausência de algo ou alguém e significa a memória de algo que aconteceu e intensa vontade de reviver certos momentos. Em tempos de isolamento social e pandemia de coronavírus, esse sentimento ganha uma dimensão ainda maior.

Podemos sentir saudades de um amigo que partiu, de uma comida que há muito não saboreamos, de uma cidade que conhecemos e que gostaríamos de voltar, de um período muito feliz de nossas vidas, saudades dos filhos quando crianças, saudades dos pais que já partiram, saudade da casa onde nascemos e vivemos por muito tempo.

E o que fazer quando ela aperta e como tratar a saudade causada pelo distanciamento entre as pessoas?

Segundo a psicóloga Ana Rafaela Bertoncine, não existe receita para quando a saudade aperta, mas que recursos tecnológicos ajudam a minimizar a falta de alguém ou de algo no nosso cotidiano. Ela explica que o primeiro passo é aceitar o sentimento, vivenciá-lo e não negar a existência dele. “Quando existe saudade é sinal de que há afeto na relação, e a pandemia vem nos ensinando que precisamos nos permitir vivenciar o novo e valorizar as pequenas coisas. Depois que tudo isso passar, acredito que vamos dar mais valor à presença do outro, por meio de um abraço, conversas em família e a dizer a alguém que ama essa pessoa”, comentou a psicóloga.

Psicóloga Ana Rafaela explica como lidar com a saudade. Por: Divulgação

Psicóloga Ana Rafaela explica como lidar com a saudade

Fonte: Divulgação

Camila Ferreira Neves é formada em jornalismo, natural de Londrina, mas reside em Ivaiporã há 1 ano e 2 meses, para ficar perto do namorado. Ela relatou que é muito apegada aos pais e que, antes da pandemia do coronavírus, ia praticamente todos os finais de semana visitá-los em Londrina, mas com a atual situação, por precaução, por conta do pai ser médico e da mãe trabalhar em uma clínica, não vê a família desde o dia 8 de março, não podendo, inclusive, ir ao casamento do irmão, que aconteceu no dia 21 de março, porque a rodoviária de Londrina já estava fechada e, em Ivaiporã, estavam sendo montadas as barreiras sanitárias nos trevos de acesso.

Além disso, Camila Neves não esteve presencialmente no aniversário da mãe, ocorrido no dia 13 de abril, mas preparou uma surpresa mesmo à distância. Já no café da manhã, Camila pediu para que fossem entregues um arranjo de flores e uma caixa de chocolates para a aniversariante, além de um almoço e um café da tarde. “Como eu não podia estar com ela, quis manter uma tradição da nossa família e me mostrar presente no dia dela”, contou Camila Neves, citando que tentaram encurtar a distância por meio de ligação e vídeo chamada.

Camila Neves também citou a relação com o pai, que é muito próxima, mencionando que a primeira coisa que deseja, assim que acabar a quarentena, é rever a família, incluindo tios e avó paterna e cozinhar com o pai dela. “Sinto muita falta deles e tento manter contato diariamente com eles e com o restante da família por videoconferência”, finalizou.

Jéssica Santos fala da falta que está sentindo do pai que mora em São Paulo

Jéssica Santos fala da falta que está sentindo do pai que mora em São Paulo

Jéssica Santos mora em Jardim Alegre com a avó, e mencionou que é um desafio permanecer longe da rotina e de coisas simples que a partir do início da pandemia se tornaram complexas. “Sinto falta da liberdade de sair com amigos, de visitar minha família, de ir a um restaurante e realizar passeios e caminhadas rotineiras”, afirmou.

No entanto, a principal dificuldade é estar longe da família e do pai, que mora em São Paulo, e que ela não vê desde o final do ano passado. Para minimizar a falta de proximidade, a jovem tem mantido contato com o pai e os irmãos por meio de aplicativos de conversas online. “O contato via whatsapp com os amigos e com o namorado também tem sido essencial para encurtar o momento de saudade e elevar o nível de carinho”, ressaltou.

Jéssica Santos também revelou que assiste lives para minimizar a saudade dos cultos religiosos e tem incluído muita leitura no dia a dia nesse período de isolamento, mas que, quando a quarentena acabar, quer retomar a rotina de atividades e estar mais próxima das pessoas que ela ama.

Comentários