Grávidas devem redobrar cuidados durante pandemia

Ana Flávia Andrade espera pelo primeiro filho. Por: Divulgação

Ana Flávia Andrade espera pelo primeiro filho

Fonte: Divulgação

Aguardar a chegada de um filho é sempre um momento cercado de muita expectativa, mas também de preocupações, ainda mais em tempos de coronavírus, em que gestantes se veem cercadas de incertezas a respeito dos possíveis riscos e cuidados que devem ter durante a gestação.

No entanto, a enfermeira do Instituto de Saúde Bom Jesus, de Ivaiporã, Elessandra Borzuk, esclareceu que, apesar de ser uma doença nova e cheia de enigmas, as futuras mamães e puérperas devem seguir as mesmas orientações do restante da população. Com higienização, uso de máscara e isolamento domiciliar, minimiza-se o perigo. Para quem precisa sair para trabalhar, deve-se evitar aglomerações e manter distanciamento entre 1 e 2 metros das pessoas.

Ainda de acordo com a enfermeira, a principal preocupação que deixa obstetras em alerta nesse cenário são as gestantes de alto risco que tenham comorbidades, como hipertensão, diabetes ou alguma doença hematogênica. “Em geral, todas as gestantes devem tomar os cuidados necessários porque a gravidez provoca uma modulação da imunidade e os receptores da mulher ficam mais sensíveis”, explicou a enfermeira.

Quanto à paciente suspeita ou que venha adquirir o Covid-19 durante a gestação, a especialista frisou que ainda não há evidências se o vírus pode ser transmitido da mãe para o bebê, mas estudos iniciais apontam que existe a possibilidade de transmissão após o nascimento por meio das gotículas da mãe. “Para a mulher com suspeita ou confirmada Covid-19 existem riscos que vão desde aborto espontâneo a partos prematuros e perda de peso do recém-nascido, por isso, se apresentar sinais, principalmente, de dificuldade respiratória, ela deve procurar ajuda médica. Por outro lado, a partir do nascimento, a paciente deve amamentar normalmente, respeitando os cuidados de higienização”, orientou.

Grávida de 21 semanas, o que corresponde há 5 meses de gestação, a atendente de crediário e empreendedora do ramo alimentício, Ana Flávia Andrade da Silva, 30 anos, espera a chegada do primeiro filho, em meio a incertezas e preocupação com relação à segurança dela e do bebê. Enquanto isso, redobrou os cuidados e procura sair de casa apenas quando necessário. “Para minha segurança e do bebê, fui dispensada e afastada do trabalho, temporariamente, mesmo assim tomo toda precaução em meio a uso de máscara, higienização das mãos constantemente, luvas e álcool em gel mesmo em casa ou fora dela, pois meu esposo continua trabalhando se expondo a este risco, mas se preocupando sempre com a higienização ao chegar em casa”, contou.

A esteticista e massoterapeuta Milena Goulart, 22 anos, espera a chegada de uma menina em julho e, em meio à pandemia, está em alerta quanto aos hábitos a serem adotados para evitar contaminação. Nesse período de quarentena, apesar da mudança de rotina, as consultas de pré-natal ainda são constantes e os cuidados devem ser redobrados. “Estamos gerando uma vida ainda muito frágil, por isso, devemos tomar algumas precauções como chegar mais próximo do horário da consulta, sentar a um metro de eventuais outros pacientes e manter a mesma rotina de higienização antes, durante e após as consultas”, comentou.

Milena Goulart está grávida de seis meses

Milena Goulart está grávida de seis meses

Comentários