Profissionais do Caps de Ivaiporã orientam como manter a saúde mental durante pandemia

Profissionais destacam importância do cuidado com saúde mental durante quarentena. Por: Divulgação

Profissionais destacam importância do cuidado com saúde mental durante quarentena

Fonte: Divulgação

Para orientar a população nesse período de isolamento social, por conta do coronavírus, profissionais do Caps Vida Nova (Centro de Atenção Psicossocial), mantido pela Prefeitura de Ivaiporã, em parceria com o Departamento Municipal de Saúde, a psicóloga Ana Cláudia Anacleto e a assistente social Jéssica Menegaldo trouxeram dicas de como preservar a saúde mental em tempos de pandemia do coronavírus (Covid-19).

O isolamento social já é uma realidade e tem se configurado como uma forma de abordagem de enfrentamento, que prioriza o distanciamento social, a fim de reduzir o contato entre infectados e não infectados, a partir de algumas medidas, como: cancelamento de eventos e fechamento temporário de espaços públicos, com o propósito de reduzir a aglomeração de indivíduos em um mesmo ambiente. “Também, pode ocorrer a partir de decisões individuais, a partir do distanciamento interpessoal e contato físico, como se faz necessário, atualmente, para preservar os grupos de risco”, explicou a assistente social Jéssica Menegaldo.

Para manter a saúde mental em dia durante a quarentena, a assistente social acredita que o apropriado seria adotar medidas para lidar com o isolamento. Para não abalar a saúde mental, é necessário saber administrar esse processo não somente em adultos, mas também em crianças, com ações tomadas a partir da razão. Entre as estratégias, é necessário que toda busca por notícias se dê a partir de fontes seguras e confiáveis, temos na internet um bombardeio de notícias, estar atento ao que é seguro evita a disseminação de notícias irreais, que podem ocasionar medo e desespero. Para as crianças, mantê-las ocupadas com atividades que, provavelmente, fariam na escola, ensinar brincadeiras antigas, e utilizar a tecnologia como aliada ao aprendizado a partir de jogos educativos, auxiliaria no estímulo e busca pelo conhecimento/aprendizado, e as manteriam ativas. Os idosos também precisam de uma atenção especial, uma vez que se têm ouvido constantemente noticiários com informações a respeito do aumento da taxa de mortalidade em grupos de risco, nos quais eles estão inseridos. Manter contato virtual, através dos recursos que a tecnologia oferta, é imprescindível. “O isolamento ocasiona um forte impacto emocional, como estresse e sensação de tédio, por isso, é necessário preencher o tempo, e trabalhar a mente para lidar com o afastamento de familiares e amigos”, relatou.

Os efeitos do isolamento social podem variar de indivíduo para indivíduo e está relacionado com a capacidade de se reinventar frente a alguma situação nova e diferente da rotina. O que é difícil, pois, no dia a dia, costumamos seguir uma rotina sem inserir ou pensar em possibilidades para além daquelas de costume.

Na visão da psicóloga Ana Cláudia Anacleto, a novas situações determinam, nesse momento, a resposta de cada um ao isolamento social, podendo ser negativas ou não. Cabe a cada um se reinventar, se dar ao direito de novas possibilidades.

Para ela, o segredo para lidarmos com sentimentos como ansiedade é nos questionarmos quanto à velocidade dos nossos desejos e querer, reaprendendo a dar tempo ao tempo. “Aceitar a situação é o primeiro passo, segundo é viver um dia de cada vez. Exercitar o pensamento de que isso é passageiro, colocar-se internamente em ordem e decidir-se por ficar bem e agir para que isso aconteça”, concluiu a psicóloga.

Comentários