Produtividade da soja deve ser recorde na região de Ivaiporã

Produtividade da soja e bom preço fizeram com que produtores tivessem uma excelente safra

Produtividade da soja e bom preço fizeram com que produtores tivessem uma excelente safra

Com praticamente toda a safra colhida, o gerente da Coamo de Ivaiporã, Domingos Carlos Fontana, fez um balanço da produção da soja, que é principal produto agrícola da região central. Ele avalia que a produtividade foi maior do que o esperado, mesmo com uma estimativa inicial mais alta do que a média normal da safra.

O clima favorável fez com que muitos produtores conseguissem produtividades acima das 200 sacas por alqueire e, com o preço do dólar no atual patamar, a renda bruta do produtor foi uma das maiores dos últimos 15 anos. “Isso tudo puxado pela demanda alta da China e também do mercado interno”, comenta Fontana.

Ele ressaltou que muitos produtores que almejam conseguir 200 sacas, em média, tiveram isso na safra anterior, principalmente, os que investiram em tecnologia e nos cuidados culturais. “Podemos dizer que aqueles que ficaram abaixo das 170 sacas por alqueire devem observar, porque algo não está correto com a produção desse ano”, ressalta. Apesar de não ter os dados ainda fechados, a média deve ser superior a 175 sacas por alqueire, que representa um recorde para a produção na região.

Ele destaca que cerca de 30% da safra foi comercializada de forma antecipada, sendo que os produtores fecharam contratos fixados entre R$ 70 a R$ 72. Mas cerca de 60% da safra foi comercializada com preços no patamar atual, ou seja, acima de R$ 80. “Acredito que já temos 90% da atual safra de soja vendida e cerca de 20% da próxima safra já está comercializada; e são momentos oportunos para fazer contrato para a safra que será plantada em setembro ou outubro”, frisa o gerente da Coamo.

Atendimento

Em tempos de coronavírus, o gerente da Coamo explicou algumas ações adotadas para tentar evitar a disseminação do vírus no estabelecimento. Inicialmente, o primeiro lugar é a conscientização dos funcionários e dos cooperados sobre o problema. A ideia é a evitar a aglomeração e a circulação das pessoas e, para isso, está sendo feito um trabalho de conscientização dos cooperados para que utilizem mais os canais online de atendimento da Coamo e da Credicoamo e que a presença na unidade física seja apenas para aquilo que é considerado essencial. “Por exemplo, se ele precisar pegar um produto para controlar a lagarta ou algo muito urgente”, frisa.

O atendimento está sendo priorizado por telefone ou internet e, no caso das pessoas que têm ido até a Coamo, o atendimento inicial tem sido feito do lado de fora para evitar as aglomerações dentro da unidade.

Comentários