Jardim Alegre determina fechamento do comércio por 10 dias

Imagem da notícia.

O prefeito de Jardim Alegre, José Roberto Furlan, assinou decreto municipal suspendendo as ações do comércio pelos próximos 10 dias, à exceção dos serviços essenciais. O decreto passa a valer a partir desse sábado, dia 28 de março. Apenas as entregas tipo delivery estão permitidas, desde que os estabelecimentos adotem medidas de prevenção para os funcionários, como fornecimento de álcool 70º e que eles permaneçam a 1,5 metro de distância, além do uso de EPI´s (Equipamentos de Proteção Individual).

Os serviços considerados essenciais são da área de saúde, como farmácia, laboratórios clínicos, consultórios médicos e odontológicos; supermercados, mercados, mercearias, açougue, panificadoras, peixarias e quitandas, indústrias e construtoras, lojas de materiais de construção, distribuidoras de gás e água, postos de combustível, funerárias, cartórios, bancos, lotéricas, clínicas veterinárias, autopeças, oficinas mecânicas (apenas para serviços de emergência), guincho e borracharias, entre outros serviços. Esses estabelecimentos não devem permitir aglomeração de pessoas e devem adotar medidas para que as pessoas fiquem a 1,5 metro de distância entre elas e tenham à disposição EPI´s e álcool 70º para os funcionários.

Nos locais onde ocorre a venda de alimentos e bebidas, não é permitida a permanência de pessoas. O decreto também veda a aglomeração de pessoas em locais públicos como praças, parques, ruas e também em locais privados, sendo que é permitida apenas a passagem transitória das pessoas.

O decreto prevê ainda que em casos de velórios, na capela mortuária, deve ser permitida apenas para os familiares e com a presença de apenas 3 pessoas de cada vez no espaço. A medida municipal também proíbe a realização de eventos religiosos presenciais, independente do número de pessoas.

Comentários