Moradores de Ivaiporã se solidarizam e oferecem ajuda em meio à pandemia do coronavírus

Jonata Leonel replicou ideia de uma amiga para ajudar famílias carentes. Por: Divulgação

Jonata Leonel replicou ideia de uma amiga para ajudar famílias carentes

Fonte: Divulgação

Com várias pessoas confinadas em casa, moradores de Ivaiporã se colocaram à disposição e estão oferecendo ajuda para colaborar com pessoas que fazem parte do grupo de risco para que elas continuem em isolamento e evitem o contágio do coronavírus (Covid-19).

Pensando em ajudar o próximo, o confeiteiro e estudante do curso técnico em enfermagem, Jonata Oliveira Leonel, conhecido como Jhou, 29 anos, se colocou à disposição de famílias em que as crianças, muitas vezes, dependem da merenda escolar, já que as aulas estão suspensas. O confeiteiro se inspirou em uma iniciativa de uma amiga que mora em outra cidade e decidiu replicar para tentar minimizar as dificuldades de algumas famílias nesse momento de enfrentamento ao coronavírus.

Para isso, ele colocou uma mensagem na rede social (facebook) oferecendo auxílio para famílias carentes. “Pensei em ajudar famílias que têm filhos que dependem das refeições servidas na escola, porque muitas dessas crianças só se alimentam na escola e, pensando nisso, tive a ideia de montar cestas básicas com outras pessoas, que também se disponibilizaram a entrar em contato com a direção de projetos sociais do município, como a Casa de Vivência e o Projeto Renascer, para saber quem são as crianças em situação mais vulnerável para ajudá-las nesse momento em que as aulas estão paralisadas”, explicou.

Roberta Sandy destaca importância da empatia pelo próximo

Roberta Sandy destaca importância da empatia pelo próximo

Ele acredita que se colocar no lugar do próximo faz toda a diferença para uma sociedade mais justa e humana. “Fazer o bem sem olhar a quem e se colocar no lugar da pessoa que possa estar passando por dificuldades, e ter o bom senso de ajudar sem expor o outro, isso é ter empatia pelas pessoas”, avaliou Jonata Leonel.

A terapeuta corporal, Roberta Sandy, 21 anos, é outro exemplo de alguém que se dispôs a ajudar o próximo de alguma forma. Ela reforçou que solidariedade e empatia são fundamentais em um momento de tanto sofrimento e espera. “É muito importante que tenhamos empatia um com o outro, zelando primeiramente da sua saúde, preservando então a saúde do próximo, principalmente dos grupos de risco”, disse.

Roberta lembrou a importância do isolamento social, mas que também é necessário estar disposto a ajudar os que mais precisam, se dispondo a ir ao supermercado, farmácia e qualquer seja a necessidade que exponha alguém que faz parte do grupo de risco às ruas, tomando os cuidados necessários. “Como terapeuta corporal posso afirmar que precisamos ajudar o outro nesse momento a acalmar a ansiedade, não deixar o pânico tomar conta, pois a imunidade ficará mais baixa e assim será mais fácil contrair o vírus, podemos ajudar usando os meios de comunicação, como whatsapp, ligações de áudio e vídeo que transmitam calma e segurança. No mais, cada um fazendo sua parte, tenho certeza que passaremos por esse tempo e, no fim, tudo ficará bem, mantendo a fé e a esperança de dias melhores”, afirmou Roberta Sandy.

Comentários