Novo inseticida para controle da dengue é apresentado

Capacitação é levada para profissionais em Ivaiporã

Capacitação é levada para profissionais em Ivaiporã

Técnicos das secretarias municipais de saúde e agentes de endemias dos municípios jurisdicionados a 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã participaram na quinta-feira, 20 de fevereiro, de uma capacitação, na sede do Sindicato Rural de Ivaiporã, para tratar sobre o manejo clínico e laboratorial da dengue, ministrada pelo médico Marcos Pinheiro e técnicos da 22ª Regional de Saúde. Segundo a farmacêutica Lilian Catiane Shimabuku Silvestre, o objetivo da palestra foi reforçar com os profissionais de saúde a necessidade de seguir o fluxograma e o protocolo que já é estabelecido pelo Ministério da Saúde, para que os profissionais considerem a forma correta de conduta no caso, já que se esses procedimentos não forem seguidos, a situação dos pacientes pode ser agravada e podem ir a óbito.

Ela lembra que em situações com um volume grande de pacientes, às vezes, as equipes ficam bastante atarefadas e não conseguem seguir todos os protocolos, mas isso é muito importante para manter a segurança dos pacientes, até porque são quatro grupos de gravidades diferentes e que precisam seguir esse manejo.

Cielo

Também durante o evento foi realizada a apresentação dos novos inseticidas que serão utilizados para o controle do mosquito transmissor da doença. O médico veterinário da 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã, Luiz Gustavo Fabris, ressalta que a forma de trabalhar com esse novo produto não muda e é preciso seguir os mesmos requisitos para fazer a aplicação do inseticida, observando as mesmas condições de aplicação. O que muda é apenas o princípio ativo. “Foi realizado um trabalho, junto ao Ministério da Saúde, com pesquisa de campo e ensaios, que testaram a eficiência dos inseticidas e notou-se que ele estava apresentando resistência por parte dos insetos e, por isso, foi necessária a substituição do princípio ativo, mas a forma de trabalhar continua a mesma”, comenta o técnico.

Ele ressalta que o que vai mudar é a necessidade de colocar menos produto e, com isso, a vazão do inseticida também deve mudar um pouco. “Hoje, estamos fazendo a apresentação desses novos produtos, que serão distribuídos em breve para os municípios, e os técnicos devem receber um treinamento específico para isso e, certamente, esses produtos mudam um pouco a rotina de trabalho das equipes”, ressalta.

Marcele Mareze, da 22ª Regional de Saúde, ressalta que os municípios devem começar a receber o produto a partir de março, já que alguns ainda estão terminando com os estoques do malathion e assim que o novo produto, chamado Cielo, estiver disponível, será realizado um treinamento prático e, posteriormente, será repassado aos municípios.

Comentários