Construção civil retoma crescimento e aumenta o número de novas obras em Ivaiporã

Arnaldo de Souza está trabalhando em uma obra no Jardim Universitário

Arnaldo de Souza está trabalhando em uma obra no Jardim Universitário

O setor da construção civil viveu seu melhor momento no início da década, quando a taxa de juros do financiamento habitacional era um dos menores da história e as linhas de financiamento eram facilitadas. No entanto, com a crise econômica, o setor foi um dos que mais sofreu no Brasil e, com isso, muitos trabalhadores acabaram perdendo o emprego. No entanto, com o cenário de estabilidade econômica, com baixas taxas de juros e perspectivas de crescimento no Brasil, o setor começa a mostrar uma reação e, em Ivaiporã, o número de novas obras tem crescido na comparação com o ano de 2018.

Segundo dados coletados junto ao Departamento de Obras da prefeitura, em 2018 foram 269 novos pedidos de alvará de construção, já em 2019, o número de pedido subiu para 298, um crescimento de mais de 10%.

Esse pedido de novas construções também refletiu na criação de novos empregos. Segundo dados do Caged (Cadastro de Empregados e Desempregados) da Secretaria do Trabalho, ligado ao Ministério da Economia, no ano passado, foram 72 admissões de pedreiros com carteira assinada e apenas 38 demissões, proporcionando um saldo positivo de 34 novas vagas de trabalho. Já entre os serventes, foram 54 contratações e 28 demissões, totalizando 26 novas vagas no setor, apenas em Ivaiporã. Outro fator de destaque é que o salário médio do pedreiro teve um ligeiro aumento em relação ao ano anterior e fechou 2019 com uma remuneração de R$ 1.790.

Willian finaliza acabamento em residência

Willian finaliza acabamento em residência

Esses bons números também podem ser observados nos canteiros de obras, onde os trabalhadores estão otimistas com o aquecimento do setor, novamente, em Ivaiporã. Arnaldo Rodrigues de Souza é pedreiro há 28 anos e está trabalhando em uma construção no Jardim Universitário. Ele comenta que, de meados de 2019 para cá, o setor começou a apresentar melhora. “Até então, estava bem complicado e cheguei a ficar três meses parado, pensei em ir embora de Ivaiporã, mas agora está muito bom”, frisa. Ele revela que, após o término da casa que está fazendo, ele já tem outro trabalho em vista. A melhoria do setor fez com que ele investisse na casa própria. O pedreiro está construindo uma residência para morar no Jardim Casagrande. “Eu tinha uma casa e tive que vender e, com a melhoria do setor, resolvi construir outra, pois pagar aluguel é complicado”, ressalta.

Outro profissional que também está animado com o setor é Jonathan Willian, que está fazendo o acabamento de uma casa, também no Jardim Universitário. Ele ressalta que, aos poucos, a construção civil está melhorando e que, nesse começo de 2020, houve uma boa levantada nas obras. “Estou terminando essa construção aqui e já temos outras duas obras praticamente certas”, revela. Há 10 anos no setor, ele acredita que ainda falta um pouco para voltar ao período do início da década, mas acredita que as coisas começaram a melhorar.

A empresária Sônia Suzuki Ferreira, proprietária da Azambuja Materiais para Construção, informa que a melhoria no setor foi visível no ano passado, depois de um 2017 bem complicado. A partir do ano de 2018 as coisas começaram a melhorar e o ano passado foi bem diferente. “Tivemos um dezembro bem atípico, em anos anteriores, a partir do dia 20, o movimento parava, mas para nós foi diferente, tivemos um grande movimento no final do ano e as vendas foram muito boas”, ressalta. Ela aponta a inflação controlada e a liberação de crédito, por parte da caixa, como pontos positivos e que estão aquecendo a construção no município. “As pessoas estão procurando melhorar de vida e investindo mais, acredito que 2020 será um ano muito bom, tanto que estamos investindo na melhoria interna da loja”, cita a empresária.

Sônia Ferreira acredita em crescimento do setor em 2020

Sônia Ferreira acredita em crescimento do setor em 2020

Comentários