Polícia Civil acredita que bandidos tinham informações privilegiadas sobre roubo de celulares

Carro foi usado pelos bandidos para fuga. Por: Divulgação

Carro foi usado pelos bandidos para fuga

Fonte: Divulgação

O delegado de Polícia Civil de Ivaiporã, Aldair da Silva Oliveira, confirmou à reportagem do Paraná Centro, que o veículo Peugeot 206 SW, encontrado pela Polícia Militar no final da tarde da quarta-feira, dia 29 de janeiro, é da vítima de um assalto à residência, realizado no dia anterior, quando os elementos levaram mais de 250 celulares e outros objetos.

O veículo foi localizado próximo à unidade da Coamo de Jardim Alegre, abandonado em uma plantação de soja. A Polícia Civil deve avaliar a possibilidade de solicitar uma perícia mais aprofundada no carro. “No entanto, isso deve ficar prejudicado, tendo em vista que o carro ficou exposto à chuva”, frisa o delegado.

Sobre o andamento das investigações, Aldair disse que o crime tem alguns elementos que não são muito comuns a esse tipo de situação, como o fato da abordagem ter ocorrido muito distante da residência da vítima, o que está dificultando encontrar pistas sobre o caso. Mesmo assim, o trabalho está sendo realizado com o levantamento de informações repassadas pela vítima e buscando câmeras de segurança nos arredores da casa, que possam indicar o trajeto realizado pelos elementos. “A vítima não conseguiu descrever mais detalhes sobre os elementos e que possam indicar uma possível autoria, mas estamos com algumas linhas de investigação que, por enquanto, preferimos manter em sigilo”, ressalta o delegado.

Ele confirmou que a vítima trabalha com a venda de celulares e o lote de 250 aparelhos foi arrematado em um leilão da Receita Federal, que ocorreu em Recife. O arremate deve ter ocorrido com lances através da internet. O prejuízo estimado é de R$ 85 mil. “Vamos seguir as investigações e partimos da premissa que, se ele foi abordado nesse trajeto, os elementos tinham alguma informação privilegiada, pois conheciam a rotina da vítima e tudo leva a crer que foi uma abordagem direcionada”, cita o delegado.

Comentários