Abacate é alternativa de diversificação para propriedade cafeeira

Fruta começa a ser colhida pela família Ravar em Ivaiporã

Fruta começa a ser colhida pela família Ravar em Ivaiporã

O cafeicultor Arcindo Ravar, do distrito de Jacutinga, em Ivaiporã, que ficou em quinto lugar no Concurso Café Qualidade Paraná em 2018, está iniciando a colheita de abacate. A árvore surge como uma alternativa para a função de quebra vento, já que a propriedade da família fica em um local alto, com altitude na ordem de 750 metros e vento constante. Arcindo Ravar conta que a família tem um sítio pequeno e houve a necessidade de diversificação da propriedade, já que a produção era apenas de café, mas com a geada e a necessidade de renovação do cafezal, precisava diversificar. Anteriormente, a árvore que fazia o papel de quebra-vento era a grevilha e, pensando em alternativas e que gerassem renda, houve a substituição pelo abacateiro, que poderia ainda agregar renda à propriedade.

Arcindo Ravar – proprietário do sítio

Arcindo Ravar – proprietário do sítio

Ravar ressalta que a planta do café não se adapta bem ao vento, além de ser um fator que pode disseminar doenças causadas por fungos. O cafeicultor fez o plantio de 250 pés de abacate e 120 deles já estão em produção. Ele optou por fazer o plantio de cinco variedades diferentes: quintal, geada, margarida, breda e o avocado, que produzem em épocas diferentes do ano e, com isso, possibilitam a geração de renda ao longo dos doze meses. Na primeira colheita, a produção é baixa, com uma produção de 2 caixas por pé, ou cerca de 40 quilos. Já na segunda colheita, a expectativa é da produção de 200 quilos por planta.

Imagem da notícia.

A remuneração também varia conforme a demanda. No início da colheita, Ravar conseguiu vender sua produção a R$ 60 a caixa, agora, o preço no mercado varia em torno de R$ 20. “A ideia de plantar variedades que permitissem colheita o ano todo era justamente ter uma boa remuneração ao longo do ano”, avalia.

Arcindo Ravar comenta que o município tem dado apoio à produção, mesmo o plantio desse abacate não estando dentro do programa Frutifica Ivaiporã, ele recebeu a visita da técnica do Departamento de Agricultura do município, Maria Helena, que fez a orientação com relação à condução da lavoura. Ele pretende continuar com a diversificação e se inscreveu no programa municipal, onde vai ser beneficiado com o plantio de frutas cítricas, como mexerica e limão.

Como qualquer cultura, o abacateiro necessita de cuidados para ter boa produção e a ideia é continuar com a diversificação da propriedade. “A fruta está suprindo a minha necessidade e não está tomando o espaço do café e, além disso, está agregando valor para a propriedade e contribuindo com o aumento da renda familiar”, frisa.

Família Ravar participa da colheita da fruta

Família Ravar participa da colheita da fruta

Comentários