Município toma ações para reduzir casos de dengue em Ivaiporã

Reunião define realização de arrastão na Vila João Xxiii

Reunião define realização de arrastão na Vila João Xxiii

A Prefeitura de Ivaiporã e a Secretaria Municipal de Saúde estão intensificando as ações para controlar a incidência do mosquito Aedes Aegypti na área urbana de Ivaiporã e reduzir a propagação da dengue. Até a sexta-feira, dia 10 de janeiro, estavam confirmados 112 casos positivos no município. Segundo o secretário municipal de Saúde, Claudeney Martins, 75% desses pacientes são moradores da Vila Nova Porã e Jardim Guanabara II.

Nesses dois locais, foram realizados, no início do ano, duas ações de recolhimento de entulhos e materiais que poderiam acumular água, que estavam espalhados por quintais e terrenos baldios. No total, a ação recolheu mais de 23 caçambas de entulhos. No entanto, a população precisa continuar colaborando, eliminando todos os locais que possam acumular água e se transformar em criadouro do mosquito; não jogando lixo em terrenos baldios, principalmente sacos plásticos, latas, tampinhas de garrafa, entre outros.

Nesse ano, uma das principais dificuldades enfrentadas pelas autoridades para o controle da dengue é a falta do inseticida usado no controle do mosquito. No ano passado, o Ministério da Saúde suspendeu o uso do princípio ativo que era usado para o combate a dengue, mas os produtos indicados para substituição não estão disponíveis no mercado. Sem o inseticida, é impossível fazer o bloqueio, ação de pulverização de imóveis próximos à residência de uma pessoa suspeita de estar com a doença e a aplicação com o fumacê, usado em casos de epidemia da doença.

Equipes de combate a dengue ajudam em mutirão de limpeza de quintais e terrenos

Equipes de combate a dengue ajudam em mutirão de limpeza de quintais e terrenos

Martins comenta que o município, junto com a 22ª Regional de Saúde, está estudando a possibilidade de utilizar outro princípio ativo, que seria eficiente para o combate ao mosquito, mas para isso precisa da anuência dos órgãos de justiça e também da decretação da situação de emergência. “Pretendemos fazer essa ação com todo o cuidado possível, pois o mosquito adulto está solto por aí e precisamos do apoio de toda população, que também pode tampar o respiro das fossas”, frisa.

Outra recomendação importante é que a população faça o uso constante de repelente, especialmente nas crianças, para evitar a contaminação e, caso um familiar apresente sintomas da doença, como febre alta, dores pelo corpo, mal estar e dores de cabeça, ele deve ser imediatamente encaminhado ao atendimento médico.

Na segunda-feira, dia 13 de janeiro, as equipes de saúde do município realizaram uma reunião com o prefeito Miguel Amaral, quando foi definido o próximo passo nas ações de combate à dengue. Nessa quinta-feira, dia 16 de janeiro, será realizado um arrastão na Vila João XXIII para o recolhimento de entulho de quintais e terrenos vazios. O prefeito de Ivaiporã, Miguel Amaral, lembra que em todo o Paraná são mais de 6 mil casos confirmados da doença e que o município tem feito o possível para evitar uma propagação maior da dengue.

Imagem da notícia.

Comentários