Miguel e Helena são nomes mais populares de 2019

Segundo engenheira civil, o nome da filha foi escolhido por ser forte e tradicional

Segundo engenheira civil, o nome da filha foi escolhido por ser forte e tradicional

Os nomes Miguel e Helena foram mais uma vez os mais escolhidos para bebês que nasceram em 2019. De origem hebraica, Miguel significa quem é como Deus, e é utilizado para batizar meninos fortes e guerreiros. Já Helena vem do grego e significa tocha ou reluzente.

Miguel ainda tem um dado curioso, segundo a plataforma: é o nome mais escolhido para crianças no Brasil em quase uma década. Helena, Alice e Laura foram os nomes mais escolhidos pelas famílias brasileiras para bebês meninas nascidos em 2019.

O Paraná Centro conversou com a farmacêutica bioquímica Fernanda Aliano Hemkemeier, 26 anos, mãe de Miguel Aliano Hemkemeier, nascido em 19 de outubro, e com a engenheira civil Edilma Kobayashi, 39 anos, mãe de Helena Naomi Souza Kobayashi, que nasceu no dia 28 de outubro. As duas são mães do 1º filho e deram à luz no Instituto de Saúde Bom Jesus, em Ivaiporã.

Tanto Fernanda quanto Edilma acreditam que a escolha do nome é uma grande responsabilidade e reflete na personalidade e na sequência da vida das crianças, além de contribuir para as lembranças e referências de cada pessoa.

Fernanda Aliano contou que desde a adolescência o nome Miguel chamou a atenção dela e daquele momento em diante decidiu que quando tivesse um filho o batizaria com esse nome. “Eu nunca tirei essa certeza da minha cabeça e, desde o namoro, o meu marido já sabia que se tivéssemos um menino ele se chamaria Miguel. É um nome que tem um significado lindo e soa perfeito para ele”, comentou.

Emocionada, Fernanda disse que sempre sonhou em ser mãe e a chegada de Miguel há pouco mais de dois meses realizou o desejo dela. “É um amor que supera todas as dificuldades, nos tornando mais fortes, dedicados e aprendendo com ele a cada dia. Em 2018 ele foi meu pedido de natal e um ano depois meu melhor presente”, descreveu.

A mãe de Miguel ressaltou que ele é um presente de Deus e o nome escolhido representa a força que ela deseja que ele tenha nas futuras fases da vida, que seja abençoado por Deus e cheio dons.

Para Edilma Kobayashi, ser mãe da Helena está sendo uma experiência maravilhosa e abençoada, apesar de noites sem dormir, dores nas costas, durante a gestação, é uma felicidade inexplicável, segundo ela. “É um amor incondicional e mais lindo que existe, pois quando esse pedacinho de gente abre um sorriso, o mundo se ilumina”, contou a mãe de Helena.

Sobre a escolha do nome, Edilma relatou que ela e o marido pensaram em um nome forte, expressivo e ao mesmo tempo tradicional que marque a vida da filha. Ao marido foram oferecidas três opções: Ester, Laura e Helena, nome preferido pela mãe e que acabou por batizar a menina. “Para nós, a Helena é nossa luz e nosso raio de sol, além de ser nosso bebê arco íris; então ela tem um significado muito forte em nossas vidas”, referiu Edilma Kobayashi, citando que ela perdeu um bebê em 2017 ainda com poucas semanas de gestação.

Conforme Edilma Kobayashi, a nova oportunidade de ser mãe lhe deu a tranquilidade e calma necessárias para curtir cada momento da gestação de Helena. “Espero que ela seja uma pessoa calma, tranquila e serena para enfrentar o mundo lá fora”, disse.

Farmacêutica sonhava com nome do filho desde a adolescência

Farmacêutica sonhava com nome do filho desde a adolescência

Comentários