Casos positivos de dengue colocam população em alerta

Equipes da 22ª Regional de Saúde estão mobilizadas para ações em toda a região

Equipes da 22ª Regional de Saúde estão mobilizadas para ações em toda a região

Os casos de dengue estão deixando a população e as autoridades de saúde em alerta, com o risco de uma nova epidemia da doença na região. Até a sexta-feira, dia 20 de dezembro, já eram 38 casos confirmados da doença na área da 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã, sendo 30 casos em Ivaiporã e outros nas cidades de Arapuã, Godoy Moreira, São João do Ivaí e Jardim Alegre.

A preocupação é muito grande, pois nessa mesma época, no ano passado, ainda não havia nenhum registro da doença na região. O ano epidemiológico começa a ser contabilizado a partir do mês de julho de cada ano.

Segundo a técnica da 22ª Regional de Saúde, Marcele Mareze, uma das principais preocupações é que, nesse ano, o Ministério da Saúde suspendeu o uso e determinou a retirada do mercado do inseticida que era utilizado para o controle químico do mosquito Aedes Aegypti. Os estudos apontavam que o inseto estava adquirindo resistência ao princípio ativo. No entanto, ainda não houve tempo hábil para a substituição por outro produto, que foi liberado há poucas semanas, e o Ministério da Saúde ainda está em processo de homologação e compra desse novo químico.

Marcele Mareze comenta que a falta do inseticida obriga as equipes de controle de endemias da região a intensificarem as campanhas educativas, com ações nos meios de comunicação e nas mídias sociais, para que a população fique cada vez atenta ao controle dos locais onde o mosquito possa se proliferar, como pote de água, recipiente atrás da geladeira, calhas, vasos de flores, ar condicionado, banheiro, ralos, entre outros.

Sem o inseticida, as equipes de endemias não conseguem realizar as medidas de bloqueio. Quando um caso suspeito de dengue é notificado, todos os imóveis, num raio de 300 metros do local onde mora o paciente, passam por uma vistoria e o local é pulverizado para eliminar os mosquitos do entorno, que possam estar contaminados. Sem essa ferramenta, as equipes só conseguem fazer o controle ambiental. “A população precisa fazer uma limpeza diária dos quintais, pois o clima é totalmente favorável à proliferação do mosquito da dengue”, cita.

Envolvimento das secretarias

Para marcar o envolvimento do Governo do Estado no combate à doença, a Regional de Saúde promoveu uma série de ações em todas as secretarias e órgãos ligados ao Estado, como Núcleo de Educação, Sejuf, Polícia Militar, IAP, Emater, Seab e Polícia Rodoviária. Cada um deles desenvolveu uma ação diferente, com o objetivo de mobilizar e conscientizar para a necessidade de controle da infestação do mosquito.

Na Regional de Educação funcionários são conscientizados

Na Regional de Educação funcionários são conscientizados

Comentários