22ª Regional de Saúde de Ivaiporã registra casos confirmados de dengue

Coordenador regional de endemias e vetores da Regional de Saúde de Ivaiporã, Cláudio Nunes – Foto. Por: Antonello Nadal

Coordenador regional de endemias e vetores da Regional de Saúde de Ivaiporã, Cláudio Nunes – Foto

Fonte: Antonello Nadal

A 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã confirmou, na semana passada, o registro de 19 casos confirmados de dengue em quatro municípios da região, sendo que Ivaiporã tem 15 casos. O último Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), divulgado no dia 26 de novembro, revelou que, no total, são nove municípios da região com casos notificados da doença.

De 1º de agosto até o início desta semana, a região tem 71 notificações de casos suspeitos, dessas 19 foram descartadas após realização de exames, 19 casos confirmados e os demais aguardam resultados de exames. Os municípios da regional com casos confirmados da doença são Ivaiporã (15), Arapuã (2), Godoy Moreira (1) e São João do Ivaí (1).

Conforme o coordenador de endemias e vetores da 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã, Cláudio Nunes, a situação da dengue não só na região, mas também no Paraná e no Brasil está bastante complicada. Ele alertou que a situação está fugindo do normal.

Nunes destacou que a 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã desenvolve um trabalho por meio dos agentes de controle de endemias, de bloqueio com praguicida e larvicida para os casos suspeitos de dengue. “Quando aparecem casos suspeitos, é feito um trabalho de pente fino num raio de aproximadamente 300 metros, fazendo arrastões de limpeza, retirando objetos que possam acumular água nos quintais”, completou.

O coordenador lembrou que o trabalho é importante, mas só dará resultado com a conscientização dos moradores. “Cada morador tem que ter a consciência que ele precisa fazer a parte dele para combater a dengue”, afirmou.

Ele orientou que os locais mais comuns para a formação de criadouros são os pratinhos de vasos de plantas, pneus, garrafas, ralos, calhas, lajes, entulhos, lixeiras e o coletor de água das geladeiras e aparelhos ar-condicionado.

Como as temperaturas vão aumentar com a proximidade do verão, ele acrescentou que os cuidados devem ser redobrados com os quatro tipos de vírus, e evitar contaminação que pode ocasionar hemorragia e óbito. Vale referir que, no começo do ano, o município de Arapuã viveu uma epidemia da doença. “A dengue traz consequências graves, como por exemplo levar a morte. Temos que cuidar antes que o mosquito traga problemas nefastos para a sociedade”, finalizou Cláudio Nunes, lembrando que em Rio Branco do Ivaí há 3 casos suspeitos de chikungunya.

No Paraná, uma mulher de 31 anos morreu em Nova Cantu, no centro-oeste do Estado, após contrair o vírus da dengue. É a primeira morte no estado causada pela doença no novo período epidemiológico, conforme a Secretaria Estadual de Saúde.

Arrastões contra dengue são realizados em Ivaiporã. Por: Divulgação

Arrastões contra dengue são realizados em Ivaiporã

Fonte: Divulgação

Comentários