Familiares de advogado morto em São João do Ivaí são ouvidos pela Polícia Civil

Luiz Alcântara tinha 76 anos

Luiz Alcântara tinha 76 anos

A Polícia Civil ouviu, nos dias 25 e 26 de novembro, familiares do advogado e presidente do Sindicato Rural Patronal de São João do Ivaí, Luiz Flórido Alcântara, 76 anos. Ele foi assassinado na sexta-feira, 22 de novembro, com três tiros dentro do próprio escritório, no centro de São João do Ivaí.

Ele chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital Municipal de São João do Ivaí, e seria transportado por um helicóptero do Samu para uma unidade hospitalar com mais recursos, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo informações da Polícia Militar, o advogado estava dentro do próprio escritório quando o suspeito chegou de moto, abriu a porta do escritório e disparou três tiros a queima roupa no rosto de Luiz Alcântara.

O autor dos disparos saiu correndo do local e fugiu de moto com um comparsa, que esperava do lado de fora da advocacia.

Conforme informações da Delegacia, os depoimentos fazem parte do inquérito para apurar os autores do homicídio. A princípio, o delegado Jairo dos Santos trabalha com a hipótese de execução, já que nenhum pertence foi levado do escritório da vítima, o que reforça a suspeita. Também foi tomado o depoimento da secretária de Alcântara.

Com autorização dos familiares, a polícia também começou a ter acesso aos documentos do escritório, bem como, ao telefone celular do advogado e as mensagens eletrônicas.

OAB se manifesta

A OAB Paraná recebeu com indignação a notícia da morte do advogado Luiz Florido Alcântara, em São João do Ivaí, advogado conhecido e benquisto no meio jurídico de toda a região.

“O assassinato de um advogado é algo que merece repulsa. O advogado faz a defesa dos cidadãos e não pode sofrer retaliações por conta do exercício da profissão”, disse o diretor de prerrogativas da OAB Paraná, Alexandre Salomão. “Esses atos jamais calarão a advocacia. Pelo contrário, a classe está cada vez mais unida para garantir a defesa da sociedade. Todos nós, advogados, nos solidarizamos com os familiares e amigos, esperando a rápida solução do caso”, afirmou.

O presidente da subseção de Ivaiporã, Luiz Henrique Branco, está acompanhando o caso pessoalmente e trabalhando para que seja esclarecido o mais rápido possível.

Advogado é baleado dentro do próprio escritório

Advogado é baleado dentro do próprio escritório

Comentários