Gêmeas se reencontram após 60 anos

Maria da Conceição e Maria das Almas se encontram depois de 60 anos

Maria da Conceição e Maria das Almas se encontram depois de 60 anos

Após 60 anos, as irmãs de 81 anos, Maria das Almas de Carvalho, que reside em Ivaiporã (PR), e Maria da Conceição Pereira, que reside em Paulista (MG), se reencontraram no dia 10 de novembro. A reunião da família ocorreu na cidade mineira e foi viabilizada após quase um ano de planejamento. Durante mais de 40 anos, as duas irmãs não tiveram nenhum tipo de contato e voltaram a ter notícia, uma da outra, cerca de 20 anos atrás, quando a filha de Maria das Almas, Marlene da Conceição de Carvalho Souza, conseguiu contato com primos que residem em Campinas (SP), que informaram o número de um telefone público, o popular orelhão, que ficava próximo à residência da irmã, que morava em Minas Gerais.

Maria das Almas é nascida na cidade de Paulista e lá conheceu o esposo Joaquim de Carvalho, com quem vive há 64 anos e com ele tem 10 filhos. No dia 10 de fevereiro de 2020 eles completam Bodas de Pérola Negra. Pouco tempo depois de casados, eles foram morar na área rural de Paulista, para trabalhar na “roça”, em um lugar muito isolado. A partir daí, ela perdeu contato com seus familiares e, pouco tempo depois, a família de Joaquim Carvalho mudou para o Paraná. Inicialmente, eles vieram para a região de Jataizinho, onde ficaram cerca de um ano e, em meados de 1962, eles chegaram a Ivaiporã, onde também residiram na área rural.

Familiares de Ivaiporã e Paulista se reúnem pela primeira vez

Familiares de Ivaiporã e Paulista se reúnem pela primeira vez

Maria das Almas voltou a ter notícias da irmã cerca de 40 anos depois, após esse contato com os primos de Campinas e conseguiu o endereço da casa da Maria da Conceição. A partir desse momento, elas voltaram a ter contato, mas o que também não era simples. Quando queria falar com a parente mineira, Dona Maria, que ainda morava no sítio, vinha até Ivaiporã e ligava no orelhão em Minas Gerais. No entanto, como o aparelho ficava na rua, elas tinham que contar com a boa vontade de um vizinho ou pessoa que passasse pelo local, que atendesse ao telefone, conhecesse a Dona Maria da Conceição, fosse até a casa dela e avisasse que a irmã de Ivaiporã ligaria dentro de alguns minutos, para que ela fosse atender ao telefone. “Quando saí de Minas Gerais, minha mãe ainda morava com ela, fiquei 40 anos sem ter notícias, mas quando voltei a ter contato, ainda sabia que minha mãe estava viva”, disse Maria das Almas. Aliás, ela só ficou sabendo do falecimento de sua mãe, alguns dias depois, quando recebeu um telegrama informando sobre o ocorrido.

Chamada de vídeo

O contato por telefone público durou cerca de 10 anos, quando finalmente elas conseguiram comprar um aparelho celular e começaram a falar pelo dispositivo móvel. No início, e ainda morando no sítio, havia uma dificuldade muito grande de contato, mesmo com o celular em casa. Mas com a vinda da família para a área urbana e os avanços de comunicação, há cerca de 2 anos, foi possível realizar a primeira chamada de vídeo, para que as irmãs finalmente se viessem, depois de mais de meio século distantes. A filha Marlene Souza combinou com familiares que residem em Belo Horizonte (MG), onde a tia estava passeando, para que pudessem fazer o contato por videochamada. “Nesse primeiro momento, as duas apenas choraram e não conseguiram falar nada uma para a outra”, relembra.

Maria das Almas e Maria da Conceição em esperado reencontro

Maria das Almas e Maria da Conceição em esperado reencontro

Reencontro

O reencontro finalmente ocorreu no dia 10 de novembro desse ano, após quase 1 ano de planejamento, e foi possível com a ajuda dos filhos, do genro Valter de Souza e algumas economias do casal e, durante uma semana, Maria das Almas conseguiu matar um pouco da saudade da irmã mineira. Maria da Conceição ainda reside na mesma casa da infância, que foi reformada. Ela também encontrou, durante a viagem, a outra irmã. A família era composta por oito irmãos, mas cinco já faleceram. “Também encontrei minhas amigas de infância e os filhos de professores da época; foi a realização de um sonho, pois foi Deus que preparou esse reencontro”, disse.

A ideia agora é que Maria da Conceição venha para o Paraná, conhecer a casa onde mora Maria das Almas. “Lá na cidade de Paulista também foi um acontecimento o reencontro das gêmeas, pois minha irmã é ex-vereadora e muito querida na cidade e, logo de manhã, já tinha pessoas que iam à casa dela, para me conhecer. Parece que eu renasci depois desse reencontro”, confidenciou Maria das Almas.

Joaquim Carvalho, Marlene Souza e Maria das Almas posam para foto

Joaquim Carvalho, Marlene Souza e Maria das Almas posam para foto

Comentários