Semana da Agroindústria e Cooperativismo debate produção sustentável em Pitanga

Professora realiza palestra no Ifpr de Pitanga

Professora realiza palestra no Ifpr de Pitanga

O Instituto Federal do Paraná (IFPR), campus Pitanga, realizou entre os dias 23 e 25 de outubro, a 1ª Semana da Agroindústria e Cooperativismo do município, com uma série de palestras e oficinas, que foram prestigiadas por alunos, técnicos e produtores rurais da região. Sob o tema “Perspectivas de Desenvolvimento e Importância Regional”, a semana debateu vários assuntos sempre com o foco de fomentar a produção sustentável agroindustrial em Pitanga e alavancar oportunidades e desafios para promover o desenvolvimento da produção e novos espaços de comercialização, para que o agricultor possa gerar renda e se inserir no mercado, com condições de valorização de sua produção local.

O professor Márcio Gonçalves dos Santos, coordenador do curso de Tecnologia em Agroindústria, comenta que as palestras foram formatadas pensando em gerar oportunidades de negócios e buscar soluções para os desafios que se apresentam tanto para os produtores, como para as instituições que fomentam esse desenvolvimento. “O curso de Tecnologia em Agroindústria veio para Pitanga com esse intuito, que é contribuir para que os produtores rurais possam agregar valor à produção local e conquistar novos mercados e consumidores”, pontua o professor Márcio Santos.

O evento contou com palestras de diversos especialistas da Emater, instituições de ensino e entidades ligadas à agricultura familiar. Um dos palestrantes foi o professor Fernando José Gomes Paredes, da Universidad Centroamericana José Simeón Canãs, de El Salvador. Ele está no Brasil, há 5 anos, desenvolvendo sua tese de mestrado e contou sobre as experiências das agroindústrias do país da América Central e, principalmente, como eles conseguem, por meio de acordos comerciais, a entrada dos produtos, com valor agregado nos mercados dos Estados Unidos e de outros países da América Central. El Salvador consegue agregar valor à produção de café arábica, que é plantado na encosta dos vulcões e também de açúcar produzido a partir da cana. Já para abastecer o mercado interno, os pequenos agricultores fazem o plantio e processamento do milho, que é a base da alimentação da população salvadorenha. “Em El Salvador, apesar de muito menor que o Brasil, já se fala em agroindústria 4.0 e acredito que a região de Pitanga, com a produção agrofamiliar, pode alimentar boa parte da região e de outros estados. Em São Paulo, por exemplo, cresce muito a demanda por produtos agroecológicos e no Paraná, em especial, a região central, pode aproveitar essa oportunidade e preencher esse mercado”, comenta o professor.

Fernando Paredes, Márcio Santos (ifpr) e Rafael Juliano Kotzmi (presidente da Unimap), durante palestra no Ifpr

Fernando Paredes, Márcio Santos (ifpr) e Rafael Juliano Kotzmi (presidente da Unimap), durante palestra no Ifpr

Comentários