Câmara de Vereadores de Pitanga cria Procuradoria da Mulher

Autoridades conhecem o espaço da Procuradoria da Mulher de Pitanga

Autoridades conhecem o espaço da Procuradoria da Mulher de Pitanga

A Câmara de Vereadores de Pitanga criou, na semana passada, a Procuradoria da Mulher no município. O novo órgão tem como principal objetivo apoiar e facilitar a mulher a ter acesso a seus direitos e lutar pela igualdade. A instalação ocorreu em sessão solene, que contou com a presença da Procuradora especial da Mulher na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, Cristina Silvestre; da presidente da Câmara de Vereadores de Pitanga, Eloy de Lurdes Ottoni Pauloski; da vereadora Marlene Soares Munhoz, que foi instituída como a Procuradora Especial da Mulher de Pitanga; do prefeito Maicol Barbosa; da presidente da Comissão da Mulher da subseção da OAB de Pitanga, Daiane Lori; da conselheira dos direitos das mulheres do Estado do Paraná, Terezinha Pereira; além de vereadores, secretários e outras autoridades.

Para a presidente do legislativo municipal, a instalação dessa procuradoria é um momento especial para a Câmara de Vereadores de Pitanga, pois esse é um órgão que vem contribuir com as políticas públicas relacionadas à defesa dos direitos da mulher e se torna, em Pitanga, mais um órgão que dará apoio às mulheres que têm seus direitos violados, como as que sofrem violência doméstica, por exemplo. “Esse órgão vai propor, também, a capacitação e esclarecimento das mulheres em torno dos seus direitos e parcerias com órgãos como a UCP, os clubes de Rotary, a OAB, e queremos que essas mulheres sejam acolhidas com dignidade”, cita a presidente da Câmara.

Ilma Soares, Marlene Munhoz, Eloy Ottoni e Margarett Martins de Oliveira, durante assinatura da instalação da Procuradoria da Mulher

Ilma Soares, Marlene Munhoz, Eloy Ottoni e Margarett Martins de Oliveira, durante assinatura da instalação da Procuradoria da Mulher

Eloy Ottoni ressalta que a Câmara de Vereadores conta com uma sala de atendimentos e toda a estrutura necessária para o atendimento da mulher e o encaminhamento necessário para cada caso, como por exemplo, para a assistência social, algum órgão de saúde ou assessoramento jurídico. “Eu acredito que temos um número de casos de violência contra a mulher maior do que é divulgado, pois muitas delas têm medo ou vergonha de denunciar, ou sofrem pressão do marido e acabam não contando e, por isso, vamos fazer palestras e orientação sobre esses direitos”, disse a presidente do legislativo municipal.

Eloy Ottoni ressalta que um dos objetivos da Procuradoria é orientar a mulher para que ela perceba que o marido não é seu dono e, com orientação e formação, é possível que esse projeto renda frutos em breve.

Autoridades posam para foto após instalação do órgão de defesa da mulher

Autoridades posam para foto após instalação do órgão de defesa da mulher

Comentários