Projeto Cooperativa Mirim é lançado em Pitanga

Cooperativa Mirim é lançada na Escola Municipal Ney Braga

Cooperativa Mirim é lançada na Escola Municipal Ney Braga

O Instituto Sicoob e a Prefeitura de Pitanga, por meio da Secretaria Municipal de Educação, realizaram, na semana passada, o lançamento do projeto Cooperativa Mirim, na Escola Municipal Nei Braga, localizada na Vila Nova, em Pitanga. A cooperativa já conta com 40 associados, dos 4º e 5º anos da escola, e também alguns integrantes da Escola Estadual Aurélio Buarque de Holanda.

A solenidade realizada na escola contou com a presença do prefeito Maicol Barbosa; do secretário de Educação, Alfredo Schavaren; da presidente da Câmara de Vereadores, Eloy de Lurdes Ottoni Pauloski; do presidente do Sindicato Rural, Luiz Carlos Zampier; além de representantes do Instituto Sicoob.

O secretário de Educação, Alfredo Schavaren, comentou que essa proposta foi apresentada pelo Instituto Sicoob, que já tem experiências de cooperativas como essa, dentro das escolas, e que são criadas e geridas pelos próprios alunos, cujos trabalhos semelhantes já ocorrem em outras cidades do Paraná.

Após o resultado do ano passado, quando uma aluna de Pitanga ficou em primeiro lugar no Concurso Nacional de Redação, promovido pelo Sicoob, a ideia começou a ser amadurecida e, para essa implantação, foi escolhida a Escola Municipal Ney Braga. Schavaren explica que essa comunidade tem uma predisposição para o projeto, tendo em vista que a associação local é bastante ativa e organizada e também a comunidade é participativa nos eventos da escola e nas questões que envolvem os pais. “Eles vestem a camisa da escola e percebemos essa pré-disposição para o associativismo e cooperativismo”, disse.

A constituição da cooperativa e a realização da primeira assembleia foram os primeiros passos da nova entidade que, a partir de agora, poderá realizar qualquer atividade que os alunos acharem interessante. “Eles já têm um capital social constituído e tanto o Instituto Sicoob como a Secretaria de Educação continuarão acompanhando as ações”, informa Schavaren. No entanto, a decisão de como as ações serão desenvolvidas é de responsabilidade total dos integrantes da cooperativa.

O secretário de Educação comenta que a secretaria vai acompanhar, dando todo o suporte pedagógico que os alunos precisarem e, conforme a cooperativa for evoluindo, o projeto pode ser expandido para outras escolas ou novas cooperativas podem ser criadas para atender outras escolas.