Servidora pública vence câncer de mama duas vezes e comemora 60 anos de vida

Margarete Ortiz vence o câncer de mama duas vezes

Margarete Ortiz vence o câncer de mama duas vezes

A servidora pública da cidade de Lidianópolis, Margarete Ortiz, comemora nessa quarta-feira, dia 23 de outubro, 60 anos de vida. Mais do que o aniversário, a história de vida dessa mulher é de superação e muita luta, que só foi possível graças ao apoio dos filhos Ângela, Adriano e Alessandro, familiares e amigos, que possibilitaram que ela vencesse o câncer de mama por duas vezes.

Há 8 anos, ela vem enfrentando a doença, quando começou um vazamento no bico do seio do lado direito. Durante um ano, ela fez vários exames, inclusive biópsia e tratamentos com medicamentos e antibióticos. “A suspeita dos médicos era um duto infeccionado; quando tomava antibiótico, o seio desinchava, mas depois voltava a vazar”, lembra a servidora.

Depois de um ano investigando, ela foi encaminhada ao Hospital do Câncer de Londrina, onde faria uma cirurgia para a retirada desse duto. Duas semanas depois, quando voltou para a retirada dos pontos, ela teve o diagnóstico que não esperava. A médica que fez o procedimento, ao observar os exames de sangue e uma nova biopsia, descobriu que Margarete Ortiz estava com um câncer e que já estava com um centímetro de espessura, semelhante a um caroço de feijão.

Como já estava em tratamento, ela já teve a cirurgia para a retirada do tumor marcada e logo iniciou o tratamento de radioterapia e quimioterapia. “Esse foi o único dia em que eu estava sozinha, meus filhos me acompanharam em todas as consultas e procedimentos até então, mas como era apenas para retirar os pontos e eles já tinham perdido vários dias do trabalho, disse que iria sozinha”, relata. Margarete Ortiz disse que foi um baque muito forte e que teve que ser amparada, tanto pela equipe do hospital como pelo motorista da ambulância que a levou para a consulta. “Eu esperei passar a hora do almoço para avisar meus filhos, foi um golpe muito forte, mas conseguimos superar tudo isso”, lembra a servidora pública.

No primeiro tratamento, ela fez seis sessões de quimioterapia e 36 sessões de radioterapia. A filha Ângela Ortiz conta que as sessões de radioterapia eram muito doloridas e que os filhos, que acompanhavam a mãe nesse tratamento, se sentiam impotentes. “Nós queríamos fazer algo, tirar essa dor que ela sentia, mas era impossível, tivemos que nos apegar com Deus para termos forças para vencer esse desafio”, relata.

Ela lembra que os irmãos, ao receberem a notícia, fizeram um pacto de dar força um ao outro e também à mãe para conseguir enfrentar a batalha. “Mas chega uma hora que até mesmo os familiares precisam de apoio, pois a dúvida se tudo dará certo é muito grande”, comenta.

Margarete Ortiz fez o acompanhamento durante cinco anos e, quando achava que estaria curada da doença, sofreu um novo baque. O câncer reapareceu e, dessa vez, um pouco mais forte e maior que primeira vez. Uma nova cirurgia foi realizada, para a retirada total da mama direita. “Fiquei cinco dias internada no hospital, porque sangrava muito e, dessa vez, tive que fazer mais 4 sessões de quimioterapia, e diferente do primeiro tratamento, meu cabelo caiu todo”, lembra a servidora pública, que antes de perder o cabelo pelo tratamento optou por raspar a cabeça. “Fiz, porque sabia que isso aconteceria”, disse.

Ela considera que o apoio da família foi fundamental para vencer a batalha contra o câncer e, a cada seis meses, ela retorna a Londrina, com uma série de exames, como radiografia, mamografia da mama esquerda e ultrassom total do abdome. “Por enquanto tudo está correndo bem e, graças a Deus, estamos vencendo essa batalha”, comemora.

Para as pessoas que irão enfrentar essa doença ou que têm receio de procurar ajuda, ela diz que, antigamente, muitas pessoas morriam de câncer e não sabiam o que era. “Hoje, a ciência está avançada e as pessoas não devem encarar o diagnóstico como uma sentença de morte, mas sim como o início de uma luta; eu consegui ser curada, graças a Deus, ao apoio da minha família e também ao apoio que tive da saúde e do poder público de Lidianópolis e, com isso, estou comemorando meus 60 anos de vida”, disse Margarete Ortiz.

Margarete Ortiz posa para foto com filhos e familiares

Margarete Ortiz posa para foto com filhos e familiares

Comentários