Região se prepara para o início da safra de verão

Domingos Fontana e Fernando Soster

Domingos Fontana e Fernando Soster

Produtores de toda a região central estão nos últimos preparativos para o início do plantio da safra de soja de 2019/2020. Nos próximos dias, o volume de plantadeiras e de semeadeiras nas áreas de lavoura deve avançar de forma considerável. Alguns produtores, inclusive, já finalizaram o plantio em suas áreas e a estimativa da Coamo de Ivaiporã é que, na sua área de abrangência, cerca de 15% dos produtores já fizeram o plantio.

O engenheiro agrônomo Fernando Soster explica que isso está sendo possível, pois o clima, de forma geral, ajudou na antecipação da colheita do trigo. Em 2018, a colheita da lavoura de inverno transcorreu até o dia 23 de outubro. Já nesse ano, a safra foi encerrada em 2 de outubro. Com isso, o plantio de soja pode ser antecipado e alguns produtores aproveitaram essa janela, que vai possibilitar o plantio do milho safrinha, como cultura de inverno.

Com relação ao investimento feito pelo produtor para essa safra, Soster comenta que, de forma geral, o agricultor tem seguido a linha de investir com alta tecnologia, visando o máximo potencial produtivo. “Se tivermos boas condições de chuva, acredito que haverá uma boa produção”, comenta.

Para o agrônomo, as principais tecnologias que continuarão sendo utilizadas na produção da soja são as plantas resistentes à lagarta e ao glifosato, mas novidades para os próximos anos devem chegar em breve ao mercado.

Para esse início de safra, a principal preocupação é o controle da erva daninha e, para isso, antes de realizar a dessecação, é importante consultar um engenheiro agrônomo, pois ele pode avaliar se existe muita ou pouca erva daninha, principalmente a buva e o capim amargoso, o que pode se tornar um grande problema no futuro, onde o controle eficiente acaba sendo apenas o que é realizado de forma manual.

Outro cuidado que o produtor deve ter é com relação ao cuidado com a lagarta. Como o inverno foi mais seco nesse ano, a expectativa é de uma infestação maior dessa praga e, por isso, o controle deve ser bem realizado.

Contrato

O gerente da unidade da Coamo de Ivaiporã, Domingos Fontana, comenta que, nos últimos dias, a cooperativa ofereceu aos produtores boas oportunidades de contrato, principalmente visando garantir, pelo menos, a cobertura dos custos de produção. “No entanto, para a próxima safra, os produtores estabeleceram um valor, na ordem de R$ 80 a saca, e alguns não têm aproveitado essa oportunidade”, comenta.

Ele lembra que o maior objetivo dos contratos é que o produtor possa travar seus custos e depois, com mais tranquilidade, esperar o melhor momento para negociar sua safra. Ele acredita em uma boa safra de verão. No entanto, espera que as condições de climas sejam favoráveis e que a tecnologia colocada no campo possa retribuir com alto potencial produtivo.

Comentários