Produtores iniciam colheita de trigo na região

Colheitadeiras vão a campo para colheita do trigo. Por: Aldinei Andreis

Colheitadeiras vão a campo para colheita do trigo

Fonte: Aldinei Andreis

O clima não ajudou e a expectativa para a safra de trigo não é das melhores. Os produtores iniciaram a colheita das lavouras, que foram afetadas pelas geadas e também pela estiagem prolongada, que em algumas cidades passou dos 40 dias sem chuvas. Segundo o Deral (Departamento de Economia Rural), órgão ligado à Regional da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab) de Ivaiporã, a expectativa é que a média na região fique perto das 70 sacas por alqueire, praticamente a metade do que foi previsto no início da safra de inverno.

O produtor José Dias, que plantou 31 alqueires, na região de Pouso Alegre, em Jardim Alegre, finalizou a colheita da safra, na semana passada, e estima uma produtividade na ordem de 75 sacas por alqueire, uma perda de quase 50% em comparação com a expectativa inicial no plantio. Ele disse que a forte geada, ocorrida no final no mês de julho, atingiu as lavouras justamente na fase de frutificação e, na sequência, a estiagem prolongada afetou de forma significativa a produção. “O trigo cresceu de forma desproporcional e isso aconteceu por causa da seca”, disse o produtor.

No entanto, mesmo com a quebra na safra, ele acredita que vai conseguir, pelo menos, pagar as despesas do plantio, mas acredita que vários produtores terão prejuízo com o trigo.

O engenheiro agrônomo Sérgio Carlos Empinotti, responsável técnico pelo Deral em Ivaiporã, avalia que, até o momento, nos 21 municípios atendidos pelo órgão, cerca de 10% da área foi colhida, sendo que nos municípios de Jardim Alegre, Lidianópolis e Lunardelli, a colheita já passou dos 50%. “No entanto, ainda é muito cedo para fazer uma média, acredito que, dentro de duas semanas, será possível ter um cenário melhor da produtividade dessa safra”, avalia.

O órgão, porém, trabalha com uma estimativa de perda de aproximadamente 50%, sendo que a média deve girar na ordem de 70 sacas por alqueire. “A geada e a estiagem foram os principais fatores, já que não houve chuva suficiente para o enchimento dos grãos”, ressalta.

No entanto, o agrônomo frisa que não existe alternativa viável para a cultura de inverno na região. “Em São Pedro do Ivaí e São João do Ivaí, que são locais mais quentes, existe o plantio do milho safrinha, mas, no restante da região, fica muito difícil encontrar alternativa, já que canola, girassol e triticale não conseguem emplacar”, ressalta. Ele ainda salienta que o plantio de uma cobertura de inverno ainda é melhor do que deixar a terra em pousio, pois os gastos depois para a eliminação da erva daninha seriam muito grandes.

José Dias finaliza a colheita de trigo no município de Jardim Alegre

José Dias finaliza a colheita de trigo no município de Jardim Alegre

Comentários