Hospital São Vicente de Paulo incentiva a amamentação

Melissa Martins, Jéssica Dal Santo e Izabela Korobinski divulgam ação de amamentação. Por: Aldinei Andreis

Melissa Martins, Jéssica Dal Santo e Izabela Korobinski divulgam ação de amamentação

Fonte: Aldinei Andreis

O Hospital São Vicente de Paulo de Pitanga promove, no dia 15 de agosto, a partir das 14h00, na Praça da Igreja matriz Sant’Ana, o Mamaço 2019: Uma Atitude de Amor e Conscientização. O evento conta a ação de mamaço, coordenada pela equipe do hospital, com orientações sobre aleitamento materno e métodos contraceptivos. A atividade contará com o apoio do Ceep (Centro Estadual de Educação Profissionalizante) Miguel Carlos Parolo. Durante o dia, os principais fotógrafos de Pitanga estarão no local realizando fotos com as puérperas e mães, que serão disponibilizadas gratuitamente para elas.

A equipe de enfermagem do hospital está organizando o evento, que é motivado pelo mês de incentivo ao aleitamento materno, celebrado em todo o mundo. A fonoaudióloga Melissa Martins comenta que, nesse ano, a ideia da campanha é incentivar a participação dos familiares e dos pais, conscientizando sobre alguns mitos e, principalmente, incentivando a mulher ao aleitamento. “A mulher não faz nada sozinha, ela precisa de uma rede de apoio e também da vivência do homem, que precisa ajudar”, comenta.

Esse trabalho de incentivo ao aleitamento é realizado dentro do hospital durante o período que a mãe fica internada. “No entanto, quando ela retorna para casa, pela falta de apoio ou pelos mitos que ainda existem, ela encontra dificuldades em amamentar e isso faz com que aconteça o desmame precoce e o uso de outros artifícios, como leite artificial, chupeta, mamadeira, chazinho, e abandona o leite materno”, comenta a fonoaudióloga.

Um dos mitos que atrapalham a continuidade da amamentação é os familiares acharem que o leite materno é fraco ou insuficiente. Melissa Martins ressalta que, nos primeiros dias de vida, a criança precisa de pouca ingestão calórica, mas que esse é um período fundamental para que a mãe transfira para o filho os anticorpos e a imunidade que existe no seu corpo. A questão da volta ao mercado de trabalho e alguns mitos que um maior tempo da criança mamando ajuda a aumentar a flacidez das mamas também são fatores que impedem uma continuidade maior do aleitamento materno.

A enfermeira Jéssica Dal Santo Ottoni frisa que o leite é considerado o alimento da vida para a criança e que, por causa desses mitos, especialmente de leite fraco ou insuficiente, muitas famílias que estão em situação financeira complicada acabam comprando leite artificial, quando não precisavam. “O leite materno ajuda a desenvolver o intelecto da criança e também sua linguagem para o aprendizado, e por isso é tão importante”, frisa.

Os organizadores convidam a população a participar do evento e incentivar outras pessoas a esclarecerem dúvidas sobre o aleitamento materno.

Comentários