Suspeita é presa em Jardim Alegre por tráfico de drogas

Prisão é efetuada em Jardim Alegre. Por: Divulgação

Prisão é efetuada em Jardim Alegre

Fonte: Divulgação

A equipe da Rotam realizava rondas pela rua Reginaldo Barbosa, em Jardim Alegre, quando os policiais visualizaram uma mulher que havia denúncias de tráfico de drogas e desobediência. Quando a viatura se aproximou do imóvel, uma pessoa estava saindo do portão e apresentou excesso de nervosismo, sendo feita uma abordagem, que foi desobedecida pelo indivíduo e que retornou para o interior do imóvel. Foi adentrado o mesmo pela cozinha da casa com uma criança suspeita no colo, onde estava uma balança de precisão e um cigarro de maconha. Ao ser questionada se havia mais entorpecentes na casa, moradora disse que não havia e afirmou a equipe que poderia fazer buscas no imóvel. Ao olhar sob o colchão box do quarto da suspeita, foi encontrada 3 buchas de substância análoga a cocaína, já no guarda-roupa foi encontrada uma bolsinha vermelha com mais 3 buchas de cocaína, além de R$ 557 em dinheiro no armário e mais R$ 850 em dinheiro, todas com notas de menor valor. A equipe de patrulhamento de Jardim Alegre foi solicitada junto com uma policial feminina, que ao fazer uma revista íntima na suspeita encontrou mais 2 buchas de cocaína. As 8 buchas prontas para venda totalizaram 3 gramas. Quando questionada sobre a procedência do dinheiro, ela não soube informar e que também não possuía nenhuma ocupação lícita. Ao continuar a revista no imóvel, os policiais localizaram um caderno com várias anotações sobre tráfico de drogas com nomes de vários usuários de drogas e com referência a dívida em dinheiro.

Já o suspeito que apresentou nervosismo ao ser abordado disse que estava morando com a suspeita há cerca de 30 dias. Ambos foram encaminhados a 54ª Delegacia de Polícia Civil, onde a mulher passou por exames para verificar se havia outros indícios de drogas em suas partes íntimas e uma criança de 4 meses foi entregue ao Conselho Tutelar de Jardim Alegre.

Segundo os policiais militares ainda durante a abordagem o celular tocava de forma insistente.

Comentários